Venezuela desenvolve modelo de educação a distância para professores

A pandemia de Covid-19 gerou mudanças abruptas em vários setores da economia. Com o distanciamento social preventivo para evitar o contágio da doença, a educação foi um dos setores que mais teve de se adaptar para poder se manter ativa em meio à crise.

Nesse sentido, o Centro Nacional de Tecnologias da Informação (CNTI) apresentou o processo de formação a distância para professores universitários. Nele, foram disponibilizadas ferramentas necessárias para a realização do processo de qualificação online, com o apoio das Tecnologias de Informação de forma gratuita durante a pandemia de COVID-19.

Para atingir esses objetivos, a CNTI disponibilizou aos professores universitários os cursos de Mediação de Aprendizagem para Treinamento Online e Desenvolvimento de Pacotes para Aprendizagem Online. Por meio dessa experiência, todos os processos e horários, assim como a plataforma Sigma foram ajustados de acordo com as necessidades dos professores. O projeto também serviu para incorporar novas ideias ao processo de auto treinamento, além de integrar novas aplicações tecnológicas necessárias no momento.

O programa conta ainda com o plano de Universidade de Origem MPPEU, a ser adotado por todas as instituições de Ensino Superior do país com o objetivo de garantir a continuidade da escolarização a distância para alunos de graduação e pós-graduação. Outro plano que faz parte dessa iniciativa é o Plano Cada Família Uma Escola do Ministério do Poder Popular da Educação, no qual as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) têm sido utilizadas para garantir a continuidade do processo educativo durante a pandemia de covid-19.

A incorporação das TIC constitui, portanto, uma ferramenta fundamental no processo educacional dos estudantes venezuelanos. A sua implementação permitiu que um maior número de jovens dessem continuidade aos estudos, respeitando o isolamento social imposto para evitar o contágio em meio à pandemia.

A educação foi um dos setores que mais se esforçou, em tempo recorde, para se adaptar às necessidades de distanciamento. Neste quadro, tornam-se ainda mais importantes os esforços do Estado para aumentar o acesso dos cidadãos às TIC, para que possam ter acesso a educação a distância.

Este tipo de plano deve ter dois pilares de sustentação: acesso à banda larga e acesso aos dispositivos. Para este último é importante a existência de planos para entrega de notebooks e netbooks para os alunos, com as respectivas estratégias de manutenção e utilização, bem como planos para financiar o acesso a estes dispositivos.

Por outro lado, no que tange o acesso, é importante destacar que as tecnologias de banda larga móvel apresentam a oportunidade de uma cobertura que abrange áreas rurais e áreas longe dos grandes centros urbanos. Tecnologias como LTE ou 5G permitem acessos robustos com grande velocidade.

Neste contexto, ganham importância as políticas de espectro para os serviços de telecomunicações móveis. A atribuição de mais espectro radioeléctrico para isto é essencial e deve ser acompanhada, quando possível, de uma agenda ou roteiro de licitações de espectro a longo prazo, de modo que  as operadoras de rede possam planejar a evolução tecnológica das suas infraestruturas.

Conclui-se que as iniciativas desenvolvidas na Venezuela em torno da educação assumem grande importância, principalmente no atual ambiente pandêmico, onde o acesso remoto se torna essencial. No entanto, é importante que essas iniciativas sejam acompanhadas de uma estratégia que busque aumentar o acesso à banda larga entre a população, bem como aumentar o acesso aos dispositivos.