Venezuela conquista o primeiro lugar em competição de robótica

O desenvolvimento tecnológico da América Latina e do Caribe exige compromisso e trabalho constantes das autoridades, garantindo melhor acesso da população às tecnologias da informação e comunicação (TIC), com o objetivo de avançar na digitalização e reduzir a lacuna digital.

Uma contribuição significativa para alcançar essas metas é o programa “Conatel al Aire”, promovido pelos Infocentros nas áreas de competências relacionadas com a robótica, abrangendo crianças, adolescentes e adultos. Eles consideram que esse aprendizado é necessário para impulsionar o desenvolvimento tecnológico da Venezuela. O foco principal é a busca por novas tecnologias que facilitem os processos educativos e proporcionem soluções abrangentes para diversos setores.

Os Infocentros têm como objetivo garantir a aquisição de novas tecnologias pelos cidadãos para facilitar a aprendizagem com as ferramentas necessárias. Além disso, contam com programas de “Semilleros Científicos”, buscando soluções em robótica que possam se tornar uma possível resposta para algum problema no país.

Atualmente, a Venezuela possui 86 Infocentros com núcleos de robótica e outros 100 impulsionados diretamente pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, que estão na fase de treinamento de facilitadores para os novos Infocentros. A meta para 2023 é ter 500 centros fortalecidos e também 2.500 núcleos de robótica nas escolas, como parte de uma ação do Ministério.

Para 2024, a meta é alcançar 3.000 núcleos ativos, com o apoio e colaboração de programas realizados em conjunto com a Fundacite. Até o momento, mais de 4.000 estudantes iniciaram seus estudos em robótica, dedicando-se ao desenvolvimento de um diploma que permita a estudantes universitários e adultos que tenham feito uma aprendizagem na área, ou algum estudo relacionado, obter um certificado.

Paralelamente a essas iniciativas, as estatísticas mostram que trabalhar com robótica ajuda os futuros estudantes a se concentrarem em atividades produtivas, vendo essas tecnologias como uma fonte de trabalho e especialização em sua vida diária, projetando seus sonhos no design de modelos tecnológicos e alcançando metas profissionais e pessoais. É importante destacar que as habilidades desenvolvidas nesses estudos incluem matemática, ciências e pensamento lógico.

A iniciativa dos Infocentros envolve uma colaboração entre empresas privadas, públicas e o governo, interconectando as populações mais vulneráveis e afastadas do país. Além disso, beneficia pessoas que não têm acesso a essas tecnologias, contribuindo para reduzir a lacuna digital e abrir caminho para a transformação.

Nesse sentido, é crucial que essas iniciativas sirvam como estímulo para a implementação de novas redes de acesso a serviços de banda larga móvel com tecnologia LTE e 5G, que, devido às suas condições, permitem acesso a altas velocidades de dados, ponto-chave para o desenvolvimento da tecnologia robótica.

Todas essas iniciativas devem ser acompanhadas pelo esforço das autoridades competentes para facilitar o acesso ao espectro radioelétrico para a indústria de telecomunicações móveis. É igualmente importante gerar uma agenda com futuros leilões de espectro que permitam as operadoras planejar eficientemente o desenvolvimento de suas redes.

No mesmo sentido, é necessário trabalhar para reduzir as barreiras burocráticas que impedem a implementação de infraestruturas de telecomunicações, bem como redes móveis. Deve-se criar uma única norma que agrupe as demandas dos diferentes níveis do Estado, além de implementar o conceito de uma janela única de procedimentos para facilitar a interlocução entre a indústria e as autoridades.