Universidade Tecnológica da Jamaica promove laboratório de IoT

A implantação da Internet das Coisas (IoT) é um dos caminhos necessários para que os países da América Latina e do Caribe avancem rumo à nova economia digital. As iniciativas que buscam incorporar esse tipo de tecnologia permitem que os países sejam direcionados para um novo ambiente produtivo.

Nesse sentido, a Escola de Computação e Tecnologia da Informação (SCIT) da Faculdade de Engenharia e Computação da Universidade Tecnológica da Jamaica (UTech) recebeu a doação de um robô inteligente e uma série de dispositivos tecnológicos destinados a oferecer serviços com foco na transformação digital. Esses elementos foram fundamentais para a instalação de um laboratório de IoT na faculdade.

As doações ocorreram no início do ano letivo com o objetivo de estimular iniciativas digitais entre os alunos. Da mesma forma, a UTech trabalha para aumentar o interesse de seus alunos em carreiras relacionadas à programação, soluções de software inovadores, principalmente em verticais como conservação de energia e segurança.

Nesse caso, o robô doado (Cruzr) oferece vários recursos voltados para o atendimento ao cliente, bem como uma ampla gama de funcionalidades úteis para vários setores, como varejo, turismo, hotelaria, transporte e saúde. Entre outras funcionalidades, possui reconhecimento facial e biometria de impressão digital, além de sistemas de identificação por radiofrequência.

O robô será utilizado para promover o ensino e aprendizagem de capacidades tecnológicas e sistemas de IoT. A UTech espera que esses dispositivos funcionem e sejam benéficos para o aprendizado, pesquisa e entrega aprimorada de serviços aos clientes.

Com essa doação, a Universidade poderá instalar um laboratório completo de IoT e oferecer aos alunos a oportunidade de desenvolver projetos de graduação, os já graduados poderão desenvolver programas de pós-graduação e os professores poderão implantar seus projetos. Desta forma, a UTech se posiciona como referência para este tipo de tecnologia.

Essas iniciativas são uma oportunidade para a implantação de tecnologias como a IoT, importantes para o desenvolvimento da economia digital. Para isso, é importante que estejam associadas aos serviços de banda larga, principalmente a móvel, uma vez que permite uma maior automação e melhor desempenho nas comunicações machine to machine.

Nesse sentido, é necessário que as autoridades jamaicanas trabalhem para estimular o desenvolvimento da 5G  e da LTE no mercado. Ambos funcionam como um catalisador para a IoT ao se comunicarem com diferentes dispositivos conectados a grandes distâncias.

Para isso, é imprescindível que sejam implantadas políticas que busquem entregar uma maior parcela do espectro radioelétrico para serviços de telecomunicações em banda larga móvel. Em particular para o desenvolvimento da 5G que exigirá bandas de espectro baixo, médio e alto. Também é necessário gerar agendas com futuras licitações de espectro que permita às operadoras planejarem o desenvolvimento de suas novas redes.

Por outro lado, também visando estimular o acesso à banda larga móvel, é necessário que as autoridades reduzam os entraves burocráticos que pesam sobre a implantação das redes de telecomunicações. Dentre as melhores práticas nesse sentido, destaca-se a geração de uma regulamentação nacional única que reúna as demandas dos diferentes níveis do Estado, bem como a criação de uma janela única que permita concentrar diferentes procedimentos.

Como pode ser visto, o desenvolvimento de um laboratório de IoT é um avanço necessário para a UTech da Jamaica. Embora esse avanço deva ser apoiado por outras iniciativas que visem aumentar o acesso à banda larga no país.