Trindade e Tobago trabalha em um plano de capacitação digital

O desenvolvimento de uma economia digital é uma das principais metas dos diversos países da América Latina e do Caribe. Este trabalho começa com a formação e educação dos diferentes setores para, dessa forma, poderem atingir esse objetivo.

Em Trindade e Tobago, o Ministério da Transformação Digital, em colaboração com o Programa de Parceria para o Treinamento e Emprego de Jovens (YTEPP), lançou um Programa de Alfabetização Digital funcional. A iniciativa foi bem recebida pela população, que buscou se inscrever no cadastro prévio.

Assim, deu-se início ao primeiro ciclo do programa de alfabetização digital, que contará com outras propostas realizadas pelo Ministério e irá incorporar diferentes projetos que visam a promoção das competências digitais. Tal qual o oferecimento desse programa só é possível por meio de alianças com diferentes agências e organizações de treinamento e desenvolvimento.

Em conjunto com a elaboração do programa de Habilidades Digitais do Ministério, serão implementados cursos de alfabetização digital para participantes com nível intermediário e avançado. Estes serão apoiados por organizações com as quais o GoRTT já tem acordos comerciais, bem como outros provedores de capacitação e treinamento.

Esta oferta estará disponível para diferentes grupos demográficos, contando com aulas e  formatos de entrega específicos para pessoas com 65 anos ou mais e para estudantes mais jovens. Esses programas incluem tópicos como robótica, inteligência artificial (IA), realidade aumentada e realidade virtual (AR/VR).

O projeto busca que grande parte da população consiga ter a oportunidade de interagir com a tecnologia de maneira significativa. Para isso, visa-se prepará-la para a utilização dos dispositivos inteligentes, fazendo com que os indivíduos se sintam empoderados no mundo digital.

A primeira etapa do curso de Alfabetização Digital Funcional com YTEPP Limited estará disponível em formato totalmente online. Serão abordados temas como: uso do computador para acessar a internet com segurança; utilizar a internet de forma eficiente; enviar correio eletrônico (e-mail); criar um documento do Microsoft Word; usar Microsoft no nível básico; preencher e enviar formulários online; e utilizar os serviços do governo online.

Embora os resultados da Pesquisa de Inclusão Digital de 2021 realizada pela Autoridade de Telecomunicações de Trindade e Tobago (TATT) mostrem que 70% dos domicílios possuem serviço de internet de banda larga fixa, ainda há potencial para expandir essa cobertura. Os serviços de banda larga móvel permitem atingir esse objetivo, incorporando um maior número de pessoas.

Atingir essas metas, porém, requer políticas ativas que procurem promover tecnologias como a LTE e a 5G, principalmente através da oferta de espectro radioelétrico para o setor das telecomunicações, bem como da geração de uma agenda com as futuras licitações de espectro, que permita às operadoras planejar de forma eficiente o desenvolvimento de novas tecnologias.

Na mesma linha, é preciso que as autoridades do país reduzam os entraves burocráticos existentes para o desenvolvimento dessas redes. A geração de um padrão único que permita às operadoras conhecer as demandas das diversas instâncias do Estado está entre as melhores práticas, assim como a criação do conceito de janela única de trâmites, para reduzir o número de interlocutores e facilitar o acesso às licenças.

Por fim, a iniciativa de Trindade e Tobago é positiva para avançar no processo de digitalização, pois firma os alicerces do caminho que pretende seguir. No entanto, para que seja eficiente, deve ser alavancada por outras estratégias que viabilizem o desenvolvimento de redes de banda larga móvel no mercado.