St. Maarten entrega lousas digitais para escolas públicas

O desenvolvimento de uma economia digital requer um trabalho desde a base de cada um dos países que desejam levá-la adiante. Nesse sentido, a educação básica deve estar entre as prioridades dos países para desenvolver a formação em tecnologias de informação e comunicação (TIC).

Nesse sentido, o Ministério da Educação, Cultura, Juventude e Esportes de St. Maarten entregou lousas digitais para escolas primárias públicas. Estas estarão presentes em cada uma das salas de aula das instituições públicas de ensino básico do país, a medida visa melhorar as condições de acesso à tecnologia por parte dos alunos.

Além da lousa digital, durante o próximo ano, cada professor e membro da equipe pedagógica pertencente ao setor público receberá um laptop. O objetivo é aumentar o número de ferramentas que eles têm para oferecer melhor qualidade educacional aos alunos.

Entre essas iniciativas está a implementação de aulas interativas para os alunos e a utilização dessas soluções digitais de alta tecnologia. Com estas estratégias, pretende-se que os professores consigam motivar melhor os estudantes e, consequentemente, aprimorar as suas competências de aprendizagem.

Esse desenvolvimento permitirá avançar na adoção digital no país, pois é um compromisso de longo prazo que possibilita melhorar as oportunidades produtivas. Também é preciso trabalhar na melhoria das condições de conectividade das escolas, para que, além do contato com a tecnologia, seja possível acessar conteúdos educacionais especialmente elaborados para esses objetivos.

Ou seja, além de equipar as escolas com lousas digitais, as autoridades devem investir em outras políticas que busquem reforçar seus objetivos iniciais. Em primeiro lugar, é necessário levar conectividade às escolas para que possam se comunicar e compartilhar experiências entre instituições, fortalecendo a cooperação educacional. Mas também é preciso gerar conteúdos educacionais especiais para aproveitar ao máximo a tecnologia.

A conectividade é um ponto substancial dentro dessas estratégias, logo, além das escolas, é preciso trabalhar para levar o acesso à banda larga para a população. Nesse sentido, a banda larga móvel se apresenta como uma oportunidade de levar serviços para áreas distantes dos centros urbanos. Tecnologias como a LTE ou 5G permitem oferecer serviços de alta velocidade e dados robustos.

Nesse contexto, é importante que as autoridades implementem políticas que estimulem a adoção de serviços de banda larga móvel no setor. Principalmente aquelas que colocam porções maiores do espectro radioelétrico nas mãos das operadoras. Também é crucial gerar agendas com futuras licitações de espectro que permitam à indústria planejar seus investimentos com eficiência.

No mesmo sentido, é necessário reduzir os entraves burocráticos existentes no mercado para realizar implantações de infraestrutura de telecomunicações. A criação de uma regulação única de abrangência nacional que reúna as demandas dos diferentes níveis do Estado está entre as melhores práticas internacionais. Também faz parte das recomendações a geração do conceito de janela única de trâmites, que permite que as operadoras tenham um único interlocutor na implantação de suas redes.

Como pode ser visto, a entrega de lousas digitais é uma primeira abordagem para políticas que buscam aumentar o acesso à tecnologia na educação. Estas devem ser acompanhadas de outras estratégias nacionais que possibilitem o acesso da população às TIC, principalmente para os serviços de banda larga móvel permitindo que chegue para uma maior parte da população.