Setor industrial da Colômbia diante das oportunidades oferecidas pela 5G

#CoberturaEspecial – O desenvolvimento de uma economia digital é um objetivo almejado pela maioria dos países da América Latina e do Caribe. Para atingir esse propósito, é necessário que haja um crescimento no setor privado que permita que as diferentes indústrias de um país avancem em direção à digitalização.

Nesse sentido, em Bogotá, foi realizada a terceira edição do Fórum Digital Hispano da Colômbia. Organizado pela Movistar Empresas, tem como objetivo compartilhar e discutir as principais tendências da transformação digital no setor privado, com a participação de diversos especialistas e representantes do setor.

O encontro buscou aumentar o diálogo e a reflexão sobre o futuro digital de diversas esferas econômicas. Para alcançar essa meta, é importante garantir que exista conectividade de alta qualidade e disponibilidade, bem como níveis de segurança para o desenvolvimento das mais variadas atividades.

Além disso, o evento permitiu conhecer tendências que fazem parte da agenda digital das empresas. Uma delas é a Internet das Coisas (IoT), sobre a qual foi explicado que a médio ou longo prazo, 67% das empresas contratarão soluções para automatizar processos críticos. Outro ponto importante foi o Big Data, tecnologia que se espera que seja adotada por 72% das empresas no futuro. Da mesma forma, 71% irão evoluir em sua conectividade de rede WAN para melhorar sua gestão, reduzir a latência e otimizar os custos operacionais (SDWAN).

Os serviços 5G podem ser uma ferramenta importante para impulsionar essas aplicações e melhorar as condições de digitalização do setor privado. Para implementá-los, é importante que as autoridades colombianas trabalhem para disponibilizar à indústria maiores faixas de espectro radioelétrico, bem como criar uma agenda com futuros leilões de espectro que proporcionem previsibilidade às operadoras.

É importante destacar que, conforme explicado no evento, a Movistar Colômbia implantou mais de 21.500 quilômetros de fibra óptica em todo o país, atingindo 4,3 milhões de residências e um total de 140.000 empresas de diferentes tamanhos. Essa infraestrutura também é importante para os serviços móveis, pois a fibra é muito eficiente para o backhaul da tecnologia 5G.

Outro destaque na agenda foi o desenvolvimento de redes privadas de IoT, cuja implementação pode impulsionar a transformação digital das empresas. Esse tipo de solução permite interconectar os diversos dispositivos inteligentes que uma empresa possui. Por meio de seu funcionamento, também é possível criar sistemas que coletam, monitoram e analisam dados importantes para o desenvolvimento mais eficiente dos negócios.

Um desafio que o setor privado deve enfrentar é a segurança da informação, principalmente para que suas aplicações possam ser desenvolvidas de maneira eficiente. De acordo com o que foi apresentado no evento, cerca de 85% das empresas estão buscando construir um negócio ciber resiliente. A cibersegurança é um ativo muito importante para empresas que buscam automatizar seus processos produtivos por meio da tecnologia, bem como para aquelas que utilizam serviços em nuvem em sua produção diária.

Dentre as aplicações que podem ser desenvolvidas com a 5G, está o “WillBot” (Wilson Bot), um cachorro robótico de última geração que a Movistar Empresas introduziu durante o evento. Ele possibilita a obtenção de informações ambientais e a identificação de equipamentos de detecção, além de poder realizar tarefas que não podem ser feitas manualmente. O robô pode ser utilizado em fábricas, parques, subestações, corredores de tubulações subterrâneas urbanas e outros locais importantes.

No evento, houve a participação de Fabián Hernández, Presidente CEO da Telefónica Movistar; Gabriel Jurado, Vice-Ministro das TIC; Saúl Kattan, Conselheiro de Transformação Digital; e Bibiana Marulanda, Diretora do Segmento B2B da Movistar Colômbia, no painel “Desafios para o crescimento econômico e sustentável do país”. Já no painel “Vantagens da inovação e tecnologia frente às necessidades das organizações”, participaram Juan Vicente Martín, Diretor B2B da Telefónica Hispanoamérica; Major Rafael Naranjo, Chefe do Grupo de Projeção e Inovação Tecnológica da Polícia Nacional da Colômbia; e Ernesto Gutiérrez de Piñeres, Vice-Presidente de Ciência, Tecnologia e Inovação da Ecopetrol.

Enquanto isso, a apresentação “Segurança da Informação: Desafios em 2023” foi conduzida por Luis Urzua, Gerente Regional Hispam da Telefónica Tech Cyber Security & Cloud; e Daniel Emiliano González, Country Manager na Colômbia da Telefónica Tech Cyber Security & Cloud. Por fim, “Redes Privadas LTE, 5G no Mundo e B2B Hispam” foi conduzido por Dameldy González, Diretora de Vendas e Desenvolvimento de Negócios na Nokia LAT para a Telefónica HispAm; e Roberto Puche, Diretor de Tecnologia da Telefónica Movistar Colômbia.