Um dos pontos importantes das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) é sua capacidade de facilitar as condições de vida das pessoas. Esta vantagem se torna muito mais importante quando se trata com pessoas que possuem alguma deficiência, já que sua aplicação funciona para suprir parte dos problemas da vida cotidiana.

Neste sentido, a União de Telecomunicações do Caribe (CTU) propõe que exista em São Cristóvão & Nevis um enfoque integral do uso das TIC na população. Ou seja, que a inclusão da tecnologia considere também as pessoas que sofrem algum tipo de deficiência.

Com esse objetivo realizou uma oficina no Centro Nacional de Tecnologias da Informação e da Comunicação (ICT, por sua sigla em inglês) orientando as pessoas com deficiência. Em particular informou sobre as distintas oportunidades que existem para usar as tecnologias para facilitar a vida dos cidadãos com problemas auditivos e visuais.

Durante a oficina apresentaram diferentes dispositivos que possibilitam aos deficientes auditivos falar através de uma tablet mediante linguagem de sinais, e esta traduz no idioma selecionado. Este tipo de terminal faz parte de uma iniciativa realizada pelo CTU que é denominada Caribbean Video Assistance Service (CVAS), e que está voltada a melhorar as condições das pessoas com deficiência auditiva e visual.

A iniciativa confirma uma primeira oportunidade para melhorar as condições de vida das pessoas com deficiência. É importante que as diferentes autoridades dos países possa gerar oficinas e encontros voltados a dar conhecimento no uso das tecnologias para este setor da população. Em particular porque este tipo de encontro passa a ser uma informação de alta importância para que as autoridades possam conhecer com quais ferramentas se encontram na atualidade para favorecer estes grupos de riscos.

Em outras palavras, é necessário que exista informação no mercado para aproveitar o uso das TIC para pessoas com deficiência. Assim, é também importante que se realizem iniciativas para colocar estes projetos em andamento podendo levar novas tecnologias para toda a população e em especial para os deficientes.

Se requer que as autoridades gerem as condições propicias para aumentar o acesso à banda larga, em particular com tecnologias móveis que por suas condições possam alcançar de forma rápida e efetiva a grande parte da população com acesso robusto e de alta velocidade. Ou seja, que a expansão dos serviços móveis se torne também importante para aumentar as possibilidades da população em geral e os deficientes em particular.

Para alcançar melhores coberturas de serviços de banda larga móvel é necessário que as autoridades do mercado coloquem à disposição das operadoras de telecomunicações maior quantidade de espectro radioelétrico. Também é importante que exista uma agenda destinada a anunciar as próximas licitações de espetro, com o objetivo de que as operadoras possam planejar de forma eficiente o desenvolvimento de novas tecnologias.

Seguindo a mesma lógica, é necessário que se flexibilizem as travas burocráticas que existem sobre o desenvolvimento de redes de infraestrutura. Ou ainda, que exista uma norma a nível nacional que estipule as permissões e os tramites necessários para que as operadoras possam prever de forma simples o que necessitam no momento de desenvolver suas redes.

Como pode-se observar, o estimulo para as operadoras para que possam desenvolver novas redes de tecnologias de acesso móvel e sem fio é um trabalho que deve ser de responsabilidade das autoridades. Dessa forma, os esforços para criar melhores oportunidades pra as pessoas com deficiência e a utilização das TIC para melhorar suas condições de vida se faz necessário.