Santa Lúcia avança rumo ao Comércio na Era Digital

Os países da América Latina e do Caribe intensificam diariamente seus esforços para alcançar a conectividade, tornando-se uma busca constante para melhorar as condições de vida da população e resultando em oportunidades de evolução nos diferentes mercados.

No intuito de atingir esses objetivos, o Ministério do Comércio de Santa Lúcia expressou seu interesse em remodelar todas as facetas de sua economia, levando-a à Revolução Digital. Isso inclui desde a forma como as empresas operam até a interação dos consumidores com produtos e serviços, sendo indispensável a adoção de tecnologia por diversas empresas.

Ao longo do mês de novembro, o Ministério concentrará esforços no apoio ao comércio eletrônico na era digital, lançando o Mês Empresarial. E seu objetivo é, por meio de iniciativas específicas e investimentos estratégicos, encaminhar as empresas em direção à digitalização.

No entanto, essas importantes transições tecnológicas continuam sendo um verdadeiro teste de agilidade, perspicácia e flexibilidade dos empresários locais, com o apoio do governo, devido às complexidades associadas à transição para a era digital em pequenos países em desenvolvimento. Além disso, o uso das redes sociais na sociedade atual tem impulsionado a promoção empresarial, auxiliando as empresas a aumentarem suas vendas. Essas novas tendências tecnológicas funcionam como uma forma moderna de marketing boca a boca, onde os usuários compartilham suas experiências de negócios, tornando esse tipo de marketing mais eficaz e não limitado a uma área específica, quebrando barreiras locais e internacionais.

Através da Unidade de Comércio e Indústria, o governo atualmente apoia atividades voltadas para fortalecer diferentes setores, especialmente as micro, pequenas e médias empresas (MPEs), através da implementação do projeto de transformação digital financiado pela OEA, com o objetivo de elevar a capacidade de comércio eletrônico dos empresários locais. Além disso, o Centro de Desenvolvimento de Pequenas Empresas (SBDC), em colaboração com a OEA, lidera um projeto de Empoderamento Econômico das Mulheres, buscando parcerias com organizações interessadas em promover a transição das empresas de propriedade intelectual feminina para a esfera digital.

É evidente que a juventude desempenha um papel importante no futuro da economia,  razão pela qual será também prestado apoio à Economia Jovem, formalizando estruturas empresariais emergentes e proporcionando uma plataforma para mostrar as suas ofertas. Isso permitirá a penetração nos mercados locais e estrangeiros, gerando uma era de inovação e pavimentando o caminho para a sustentabilidade empresarial nas gerações futuras.

Essas iniciativas promovidas pelo Ministério do Comércio em Santa Lúcia representam um bom começo para adentrar nas novas sociedades digitalizadas. O desenvolvimento de redes 5G e LTE deve ser prioritário, pois são tecnologias que permitem grandes coberturas de maneira mais rápida. Contudo, é crucial intensificar os esforços para impulsionar o crescimento da conectividade no país, bem como melhorar a conectividade nos diferentes setores que compõem a economia.

Além da abertura para a concorrência de mercado, outras medidas são necessárias por parte das autoridades. Em primeiro lugar, a disponibilidade de mais espectro radioelétrico para serviços de banda larga móvel, assim como a criação de uma agenda clara com futuros leilões de espectro, permitindo que os operadores planejem de forma eficiente a implementação de novas redes, atendendo às expectativas do governo e reduzindo a lacuna digital.

Outra medida necessária é a redução da carga tributária sobre dispositivos de rede e terminais de acesso, visto que isso prejudica o desenvolvimento eficiente das redes de telecomunicações. Dispositivos com menor carga tributária tornam-se mais acessíveis para a população, permitindo que um maior número de pessoas tenha acesso à tecnologia.

Como pode ser observado, Santa Lúcia está avançando na busca pela digitalização, um trabalho necessário para que o país se integre à nova era digital global.