República Dominicana avança em e-sociedade

A inclusão das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) nos diferentes setores da sociedade mantém um ritmo constante. Embora existam diferentes níveis de incorporação em cada um deles, no dia a dia aumenta a incidência da tecnologia na vida cotidiana; alcançando a saúde, a educação, o governo, a agricultura, entre outros.

Ao passo que a integração destes diferentes setores é o que pode ser denominado de e-Sociedade. Na República Dominicana esse nome foi escolhido para desenvolver a estratégia para gerar um modelo de governo para desenvolver os serviços públicos e privado, por meio do uso das TIC como ferramenta de produção. O objetivo é poder transformar a estrutura produtiva e o modelo econômico do país orientando a economia digital.

A administração da República Dominicana reconhece diversos componentes dentro de suas funções que terminam gerando forma para a e-Sociedade: e-Governo, e-Governança, e-Serviços, Comércio Eletrônico, m-Governo e Governo Aberto. Por sua vez, o trabalho conjunto com o setor privado e o resto da sociedade são os componentes: e-Política, e-Saúde, e-Educação, e-Impostos, e-Commerce, e-Compras, e-Turismo, e-Meioambiente, e-Transparência, e-Participação, e-Consultas, e-Energia, e-Localidades, e-Municípios, e-Centros, e-Geolocalização, e-Desperdício, e-Assistência, e-Atenção, e-Pesquisa. Outro objetivo que sustenta a iniciativa é o de gerar informação e conhecimento.

A estratégia realizada pelas autoridades da República Dominicana é um passo necessário para os países que buscam aproveitar o desenvolvimento das TIC. Em outras palavras, para poder incluir a economia dominicana neste cenário mundial dentro dos mercados digitais, é fundamental que exista um apoio deste tipo por parte das autoridades, incentivando o mercado interno.

A inclusão das TIC em diferentes setores é fundamental para melhorar suas condições produtivas, tal como observa-se semana a semana no Brecha Zero. Não apenas potencializando atividades como à agricultura ou saúde, incluindo melhoria e preparação da população para um novo sistema produtivo por meio da educação, mas também melhorando o resto da economia com esse objetivo.

Outro ponto importante que afiança essa estratégia a nível governamental é a consolidação de um mercado digital nacional, estimulando a criação de software ou de aplicativos móveis de origem local. Ou seja, a criação de uma indústria digital que fortaleça o mercado interno de trabalho e permita ao país fazer parte do concerto das nações que se preparam para um novo formato econômico global.

No entanto, para que estas iniciativas possam desenvolver-se de maneira saudável no mercado, é necessário que as autoridades gerem condições necessárias para aumentar o acesso às TIC aos cidadãos. Neste mesmo caminho, é fundamental que se busque aumentar a conectividade dos habitantes, a possibilidade de estar conectados à internet não apenas aumenta o mercado interno para os desenvolvedores e para a economia digital, mas também gera novos produtores deste tipo de conteúdo.

Neste cenário, as tecnologias móveis transformam-se em uma ferramenta necessária, já que por suas características melhora a entrada de uma maior porção da população. Para isto, é fundamental que as autoridades da República Dominicana gerem condições necessárias para aumentar a penetração de acesso à banda larga móvel no mercado.

Uma medida necessária para gerar melhores condições de conectividade de espectro radioelétrico destinado aos serviços móveis. Neste sentido, é importante que, além de licitar mais espectro, as autoridades gerem uma agenda de futuras licitações que permitam previsibilidade às operadoras e possam planejar de forma mais efetiva o desenvolvimento de novas tecnologias.

Por sua vez, é necessário que se reduzam os impostos que existem no momento da construção de redes de telecomunicações. Em particular, o que faz a instalação de antenas de serviços móveis, que são geralmente os mais resistidos pela comunidade. Neste ambiente, é necessário gerar um trabalho duplo: por uma parte, educar a população em busca de desmistificar prejuízos sobre estas antenas; por outra, gerar políticas unificadas que permitam previsibilidade às operadoras no momento de desenvolver a rede. Este último ponto necessário para melhorar as coberturas dos serviços.

Como pode-se observar, a busca das autoridades da República Dominicana pelo avanço até uma sociedade da informação e da comunicação é positiva para seus desenvolvimentos como nação. No entanto, estas políticas devem vir acompanhadas por outras que gerem maior conectividade no mercado para assim aumentar a inclusão da população nas TIC.

0 comments on “República Dominicana avança em e-sociedade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *