Projeto do Ministério da Educação do Panamá inclui as TIC como componente importante

O uso de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) na área da educação abrange uma série de opções. Entre as mais desenvolvidas na América Latina está a participação do Estado em iniciativas que propõem sua adoção para a educação pública, geralmente associada a prover dispositivos e acesso a cada um dos estabelecimentos educativos.

Nesses projetos, estão também as diferentes iniciativas que tendem a potencializar o uso das TIC em âmbitos educativos. Seja por meio da capacitação e cursos para docentes, como pela inclusão em ações que pertencem às outras áreas da educação. Como exemplo deste último item, destaca-se o programa “Aprende al Máximo”, desenvolvido pelo Ministério da Educação do Panamá.

O plano tem como objetivo melhorar a aprendizagem em áreas como leitura compreensiva, escrita, pensamento científico e matemático. Para que resultem em habilidades que favoreçam o desempenho de jovens e adultos na vida cotidiana, dentro e fora da vida escolar. O projeto será implementado na educação infantil. Além disso, uma parte do programa está focada nos docentes, para que possam melhorar suas práticas educativas, mediante a implementação de metodologias ativas e inclusivas.

O “Aprende al Máximo”, descreve 5 importantes componentes que são: Razão, Descoberta, Entendimento, Convivência e Conexão, voltados para o desenvolvimento das habilidades necessárias para melhorar o desempenho dos alunos. Reforça que, geralmente na educação são destacados quatro pilares tradicionais, e que o Ministério da Educação do Panamá inclui o conceito “Conectar-se ao Máximo”, cujo objetivo é facilitar o acesso da comunidade educativa à TIC, considerando que estas ferramentas são eficazes para a estimulação do processo pedagógico. Também se encarrega de facilitar o acesso à energia elétrica e conexão à Internet das escolas de difícil acesso, como em aldeias indígenas.

O avanço mais importante do projeto é a inclusão das TIC no ensino por uma perspectiva que oferece a todos o conceito básico educativo. Em outras palavras, a inciativa parte da base das TIC como um pilar inicial da educação, confirmando assim uma declaração importante para o futuro.

Por outro lado, a busca por atingir áreas rurais, povoados indígenas ou distantes dos centros urbanos, é outro ponto que merece destaque. Em particular, a partir da utilização das TIC para enfrentar o desafio de reduzir a exclusão educativa junto dessas pessoas. Estas tecnologias confirmam um padrão importante para poder democratizar o acesso à educação, sempre e quando as administrações governamentais realizam os esforços de conectividade necessária.

Neste sentido, é importante ressaltar que o Panamá já contava com avanços dentro da inclusão das TIC na educação, principalmente mediante o Portal Educa, desenhado pelo Ministério da Educação para Inovação, criatividade e atualização com tecnologia da comunidade em geral. O objetivo desta iniciativa é apoiar o desenvolvimento das atividades acadêmicas, culturais, cientificas e tecnológicas. Também aponta a integração da comunidade educativa aos espaços colaborativos, para a troca de experiências que enriqueçam os processos de ensinamento e de aprendizagem.

O portal faz parte da “Red Latino Americana de Portais Educativos” (RELPE), da qual participam 18 países. E sua função é formar um sistema de armazenamento e distribuição de conteúdos educativos. Esta rede encontra-se em constante expansão e renovação para poder alcançar a diminuição da exclusão digital.

No entanto, para que este tipo de iniciativa tenha um impacto positivo em sua execução é necessário que exista um trabalho conjunto de maneira horizontal entre os diferentes segmentos do Estado. Ou seja, os projetos do Ministério da Educação devem ter correlação com as dependências administrativas encarregadas de promover a conectividade e as TIC no país.

A implementação de normas tende a melhorar a conectividade e isso é muito importante para que as escolas possam atingir os portais de conteúdos educativos, mudando dessa maneira o acesso à educação. Neste quesito, é importante que se desenvolvam políticas que tendem a democratizar o acesso à banda larga.

Em particular, os serviços de banda larga sem fio cobram uma maior importância, já que permitem às operadoras alcançar coberturas mais amplas de maneira mais rápida. Assim, é fundamental que as estratégias governamentais tendem a facilitar o acesso ao espectro radioelétrico para este tipo de conectividade. Outras política importante é a redução de trâmites burocráticos no momento do desenvolvimento de rede das operadoras.

As políticas relacionadas com a inclusão de TIC no setor de educação são importantes dentro do Panamá. A criação de diferentes programas que tendem a introduzir esta temática como fundamental no setor é positiva para o desenvolvimento desse país. No entanto, devem ser complementadas por diferentes regulamentações que busquem aumentar a conectividade no mercado, para alcançar assim um impacto maior na sociedade.

0 comments on “Projeto do Ministério da Educação do Panamá inclui as TIC como componente importante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *