Programa TeleSecundaria da Guatemala avança para próxima etapa

As Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) são ferramentas de desenvolvimento que podem atender diferentes necessidades do âmbito educativo. Por esse motivo, vários países da América Latina e do Caribe há anos trabalham em sua implementação. No caso da Guatemala, o programa TeleSecundaria está ativo desde 2003, após 5 anos de testes. No entanto, os avanços tecnológicos permitiram uma forma mais eficaz de planejar o futuro.

O TeleSecundaria foi implantado pelo Ministério da Educação da Guatemala e consiste em educar jovens de nível médio e jovens que vivem em comunidades onde não existem estabelecimentos desse nível ou cobertura adequada do sistema educativo. Caracteriza-se por contar com um só docente que é responsável pelo processo educativo em todos os assuntos relativos à formação do aluno, com o apoio dos meios audiovisuais.

A ideia inicial do programa surgiu por meio de um convênio em matéria de educação à distância, entre a Secretaria de Educação Pública do México e o Ministério de Educação da Guatemala, em 1996. Concretamente, a criação do programa realizou-se por meio do Acordo Ministerial Nº39-98 de março de 1998 e contou com uma etapa experimental de 5 anos. O modelo consolidou-se a partir de dezembro de 2003 com a criação dos Institutos Nacionais de Educação Básica de TeleSecundaria. Em 2014, participaram do projeto 3.200 docentes, que alcançaram mais de 1.646 institutos em toda a Guatemala.

Entre os principais objetivos encontram-se atender a demanda de educação básica em zonas rurais e as que por razões geográficas e econômicas não possuem Institutos regulares técnicos. E por outra parte, buscar oferecer recursos educativos modernos para professores e estudantes para assim desenvolver um processo interativo múltiplo, para capacitar, dar assistência técnica, seguimento e monitoramento.

Para uma escola tornar-se parte do programa deve estar a uma distância mínima de 5 km de outras instituição de ensino e ter um número mínimo de 25 estudantes. Aqueles que possuem interesse devem provar que possuem idade mínima de 12 anos e provar que já concluíram a escola primária.

O projeto conta com uma metodologia específica e possui uma série de atividades secundárias a serem realizadas em sessões de 50 minutos. Estas atividades são coordenadas por um docente encarregado de seguir com as propostas de trabalho para cada uma das matérias de apoio. Este material consta de uma enciclopédia, um guia de estudos e uma parte audiovisual.

O programa TeleSecundaria apresentou características inovadoras no momento de sua implementação, aproveitando as opções oferecidas pela tecnologia em seu momento de implantação. Os métodos audiovisuais funcionam como suporte para que apenas um professor possa atender diferentes matérias e guiar os alunos, favorecendo assim a inclusão de uma maior quantidade de jovens na educação média.

Sendo assim, o avanço das TIC permite atualmente oferecer maiores benefícios tanto para os educadores, como para os alunos. A evolução possibilita não somente contar com vídeos produzidos para educar, como também com ferramentas que permitam a interação dos alunos com professores à distância. Esta alternativa é de suma importância para poder melhorar o conteúdo a partir do enriquecimento que aportam os alunos.

Neste sentido, as tecnologias de acesso à banda larga sem fio representam uma ótima opção para a transmissão de vídeos em zonas rurais e isoladas dos grandes centros urbanos. Neste sentido, de acordo com dados da 5G Americas, o mercado da Guatemala contava com redes LTE ativas em dezembro de 2015. Por meio de diferentes serviços móveis é possível oferecer acesso simultâneo para vários estudantes.

Sendo assim, a tecnologia possibilita um só professor oferecer seus conhecimentos de maneira simultânea para várias classes. Esta alternativa, uma das implementações desenvolvidas com maior sucesso em termos de tele-educação, é de grande importância no momento de desenvolver classes específicas onde não existe uma grande quantidade de docentes capacitados para levá-las adiante.

A implementação desta prática exigirá um trabalho em conjunto com os setores público e privado para oferecer o acesso da banda larga sem fio em zonas privadas. Com o objetivo de aproveitar as atuais redes desenvolvidas no mercado, por outra parte, é importante que o estado empenhe esforços para poder adotar as instituições de terminais aptos para o aproveitamento da conectividade.

Neste sentido, como já foi discutido aqui, é de grande importância que exista uma figura que articule pela implementação técnica com a educação. Em outras palavras, um encarregado de solucionar todos os inconvenientes que possam ter os professores com o uso da tecnologia e que permita coordenar o trabalho diário. Também são importantes estes tipos de empreendimentos da geração de conteúdos, que se adaptam não somente ao diferentes níveis de currículos de cada aluno, mas também ofereçam possibilidades de interagir.

Assim, a proposta da Guatemala TeleSecundaria pode avançar seu status como um programa interessante, uma nova experiência para avançar para atuais possibilidades oferecidas pela tecnologia. A incorporação de novas tecnologias ao mercado permitirá um maior desenvolvimento à educação, enquanto prepara os alunos para os desafios que são propostos para o futuro.

0 comments on “Programa TeleSecundaria da Guatemala avança para próxima etapa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *