Professores em Antígua e Barbuda recebem treinamento em aulas virtuais

A implementação de programas que buscam agregar tecnologias de informação e comunicação (TIC) à educação exige muito trabalho das autoridades para aparar arestas. A distribuição dos dispositivos, bem como a conectividade aos estabelecimentos, ou a geração de conteúdos, devem ser complementadas com a formação do corpo docente.

Nesse sentido, os professores de uma escola primária de Parham em Antígua e Barbuda receberam treinamento gratuito para oferecer aulas online. Esta medida foi tomada com o objetivo de aliviar o problema com as restrições impostas sobre classes presenciais devido à pandemia de Covid-19.

Por meio da Tanice Powell Williams do Project Jaguar, em um centro de educação digital premiado, uma sessão de treinamento no Google Sala de Aula foi conduzida para os professores do primário na Parham Elementary School. O objetivo era aumentar o acesso à educação de qualidade para os alunos, com foco na melhoria das competências digitais dos professores.

O treinamento teve duração de duas horas e  os professores o acessaram pela plataforma digital. A aula abordou conceitos básicos do Google Sala de Aula. Além disso, ferramentas e recursos foram fornecidos aos professores para aprimorar seus conhecimentos sobre a plataforma.

O objetivo é que os professores tenham maior familiaridade com a plataforma para tornar as aulas mais interativas para que os alunos tenham um melhor aproveitamento das ferramentas disponíveis. A meta é que a plataforma educacional auxilie na administração da carga horária e das tarefas enviadas aos alunos. Paralelamente, as autoridades do Ministério da Educação estão trabalhando para adaptar as aulas de forma mais eficiente para incorporar elementos virtuais ao ensino.

Dessa forma, a iniciativa busca criar condições para que os professores possam ministrar aulas virtuais de forma positiva. Para isso, foram disponibilizados recursos para que possam aprimorar o planejamento e a participação nessa nova modalidade de ensino.

Porém, para que esse planejamento avance, é necessário que as autoridades de Antígua e Barbuda trabalhem no incentivo ao acesso à banda larga por parte da população. Professores e alunos devem assistir às aulas virtuais de suas próprias casas para manter o distanciamento social e minimizar infecções provocadas pela Covid-19.

O acesso à banda larga apresenta-se como uma ferramenta fundamental, nomeadamente a banda larga móvel que, pelas suas características, permite o acesso de um número maior de pessoas. Nesse contexto, tecnologias como a LTE e, no futuro, a 5G, permitem acesso em alta velocidade e acesso a dados de forma robusta.

Para melhorar esse acesso, é necessário disponibilizar porções maiores do espectro de rádio para a indústria de serviços móveis para permitir o desenvolvimento de novas tecnologias, bem como a geração de uma agenda com futuras licitações de espectro que possibilite ao setor um planejamento eficiente de suas redes.

Da mesma forma, é necessário reduzir os entraves burocráticos que existem na implantação de redes de telecomunicações. Políticas como a geração de uma norma única que reúna as diferentes demandas dos órgãos estaduais são de extrema importância para agilizar a instalação das redes.

Iniciativas que buscam melhorar as condições de acesso à educação por meio das TIC são de grande ajuda para os países que passam pela revolução digital. Porém, devem vir acompanhadas de outras que aumentam a conectividade no mercado, possibilitando melhores resultados gerais.