Porto Rico desenvolve aplicativo para registro de doadores de órgãos

O desenvolvimento das tecnologias da informação e comunicação (TIC) no setor de saúde avançou a passos largos durante a pandemia do Covid-19. Muitos países aproveitaram esse momento para aumentar a inovação nas instalações sanitárias, propondo melhorias para diversos segmentos desse setor.

No caso de Porto Rico, o Departamento de Transporte e Obras Públicas (DTOP), junto a Oficina de Inovação e Serviços de Tecnologia (PRITS), anunciou que no aplicativo CESCO Digital, agora foi adicionada a opção de se registrar como doador de órgãos. Com este serviço online, o indivíduo não terá a necessidade de recorrer a um Centro de Serviços ao Condutor (CESCO), já que poderá se registrar no seu celular ou computador.

O processo de cadastro para doação, através do CESCO Digital, é simples e faz parte do Acordo que a instituição mantém com a Fundação LifeLink; uma organização sem fins lucrativos que oferece serviços de recuperação de órgãos e tecidos. Desta maneira, aumentam-se os esforços para salvar e renovar vidas através da doação e dos transplantes de órgãos.

O aplicativo foi criado para que o DTOP possa manter sua missão de criar soluções para melhorar o transporte, assim como os serviços aos cidadãos. Por meio do projeto, utiliza-se a tecnologia como um instrumento para salvar vidas, proporcionar esperança e saúde. Através desta iniciativa de se registrar como doador de órgãos, sem a necessidade de esperar a data de renovação da licença, selecionando a opção de forma digital, visa-se que mais pessoas possam receber órgãos e, assim, ajudar outros indivíduos que necessitam recuperar sua saúde.

Da mesma maneira, o aplicativo CESCO Digital, uma vez que o cidadão indicar que quer ser um doador, irá se conectar com o registro eletrônico de doadores de órgãos e fornecerá suas informações, facilitando e, assim, criando mais oportunidades para que os indivíduos optem por ajudarem o próximo, de forma prática, já que a opção se encontrará na página principal do aplicativo. 

Estes esforços são importantes para continuar tornando mais acessível a cada cidadão a decisão de ser um doador de órgãos e, consequentemente, salvar vidas. O processo para se registrar agora é mais acessível e fácil, não havendo a necessidade dos habitantes terem que dirigir-se até as instalações físicas.

Dessa forma, o projeto é fundamental para economizar o tempo dos cidadãos, além de transformar-se em um facilitador para a doação de órgãos. Por se tratar de um aplicativo, também é crucial que existam mais iniciativas para aumentar a quantidade de pessoas que têm acesso aos serviços de banda larga móvel.

É importante ressaltar que tecnologias como a LTE e a 5G apresentam grandes oportunidades para que a população possa acessar serviços de banda larga móvel de alta velocidade. Para potencializar este acesso é importante que se ponha à disposição das operadoras móveis maiores porções de espectro radioeléctrico, assim como que haja a delineação de um roteiro de futuras licitações de espectro para que a indústria possa planejar de forma eficiente a instalação de suas redes.

Da mesma maneira, é necessário que as autoridades reduzam os entraves burocráticos que existem no momento de instalar infraestruturas de telecomunicações. Nesse sentido, é necessário que exista uma lei que aglutine as diversas demandas dos diferentes níveis do Estado, assim como a criação de uma janela única de trâmites que simplifique a comunicação entre a indústria e as autoridades.

Como pode-se perceber, a iniciativa desenvolvida pelas autoridades de Porto Rico é crucial para incentivar a doação de órgãos. No entanto, deve estar acompanhada por outros esforços que busquem aumentar o acesso à banda larga no mercado.