Peru implanta programa gratuito de Internet para centros educacionais de baixa renda

Os diferentes países da América Latina buscam avançar implantando economia digital. O trabalho realizado pelas autoridades nesse sentido busca abranger os diferentes setores sociais e econômicos. Entre eles, a educação, como base fundamental para que as gerações futuras tenham as ferramentas necessárias para se desenvolver em novas tecnologias.

Neste sentido, o Ministério de Transportes e Comunicações (MTC) do Peru, implantou diferentes projetos de banda larga que permitirão a conexão ao serviço gratuito de Internet de 1.842 instituições públicas (1.147 escolas, 617 agências de correios e 78 delegacias) nas regiões mais remotas regiões do país. Eles terão acesso, pela primeira vez, a esse tipo de tecnologia.

O projeto está sendo realizado por meio do Programa Nacional de Telecomunicações (Pronatel), que prevê a implantação de fibra óptica para cinco projetos de banda larga este ano. Essas iniciativas visam beneficiar alunos de escolas localizadas no alto andino e nas comunidades marginais da região amazônica.

As instituições públicas que serão beneficiadas por esta iniciativa correspondem a 7.768 localidades rurais consideradas praticamente isoladas. O Pronatel deverá colocar em operação os projetos nas regiões de Tacna e Moquegua até maio de 2022 e os de Junim, Puno e Ica até o quarto trimestre do mesmo ano.

Estima-se que para a região de Tacna, o MTC, por meio do Pronatel, fornecerá acesso à Internet a 103 instituições públicas (68 escolas, 24 postos de saúde e 11 delegacias) em 52 localidades rurais. Estima-se que 17.185 cidadãos de Tacna serão beneficiados graças a esta iniciativa. Para Moquegua, o acesso à Internet será fornecido para 558 instituições públicas (69 escolas, 29 agências de correios e 9 delegacias) em 66 localidades rurais, o que beneficiaria mais de 20 mil cidadãos daquela região.

Para a região de Junim, o acesso ao serviço de Internet será implementado em 107 instituições públicas (325 escolas, 221 postos de saúde e 12 delegacias) em 353 localidades rurais. Isso terá um impacto positivo em aproximadamente 246.627 pessoas.

Enquanto isso, na região de Puno, 958 instituições públicas (635 escolas, 285 agências de correios e 38 delegacias) em 471 localidades rurais serão beneficiadas com acesso à Internet, com um potencial de 243.235 cidadãos beneficiários.

Por último, será a região de Ica que terá acesso ao serviço de Internet a 116 instituições públicas (50 escolas, 58 agências de correios e 8 delegacias) em 81 localidades rurais e beneficiará 6.413 cidadãos.

Com o desenvolvimento da conectividade nessas instituições públicas, será promovida a digitalização de diferentes serviços do Estado, melhorando a qualidade de vida dos habitantes na realização de diversos procedimentos. No entanto, para que seja realizado deve haver uma correlação no acesso da população. Ou seja, é preciso trabalhar para que os habitantes do país tenham serviços para acessar esses benefícios.

Para isso é necessário que as autoridades peruanas estimulem o setor de telecomunicações a desenvolver tecnologias de acesso na população. É importante destacar que, por suas características, tecnologias como a LTE e a 5G podem trazer serviços com alta velocidade e dados robustos para áreas rurais e distantes dos grandes centros urbanos.

Para atingir esse objetivo, é importante que as autoridades disponibilizem porções maiores do espectro de rádio para o setor de serviços móveis. Assim como a geração de uma agenda que permite às operadoras planejar com eficiência a implantação de suas redes.

Em suma, a iniciativa MTC é positiva para promover a entrada do Peru na nascente economia digital global. No entanto, deve ser acompanhada de outras políticas que busquem aumentar a conectividade no mercado.