Panamá implanta plano de formação virtual para professores

Planos educacionais exigem treinamento contínuo de professores. Esse esforço que cada um dos países deve realizar também foi interrompido pela pandemia da Covid-19, mas alguns países da região responderam ao desafio ao gerar espaços virtuais e alternativos.

Nesse sentido, por meio da Diretoria de Inovação em Aprendizagem em Ciência e Tecnologia da Secretaria Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SENACYT em Espanhol), com o apoio do Ministério da Educação (MEDUCA) do Panamá, foram realizados seminários virtuais para 300 professores de Química do ensino médio de diferentes regiões do país.

O objetivo destas aulas é fornecer ferramentas para a aplicação de estratégias didáticas, tecnológicas e de avaliação nos processos de aprendizagem da Química. A capacitação foi realizada por meio da plataforma Meduca Moodle com inscrição gratuita, da qual participaram professores de química de escolas oficiais e particulares do país.

Com base nesta estratégia, o objetivo é fornecer aos professores ferramentas que promovam as competências científicas dos alunos, promover a avaliação com maior criatividade fazendo uso de diferentes aplicações e garantir que os professores utilizem mais recursos tecnológicos.

São dez salas virtuais por dia nas quais participam cerca de 20 facilitadores, formados pela Especialização em Didática da Química, da Faculdade de Ciências Naturais, Exatas e Tecnológicas da Universidade do Panamá (UP) com o apoio do SENACYT. Onde conhecimentos e experiências podem ser compartilhados entre os colegas, melhorando assim suas habilidades para enfrentar o ensino a distância.

A ideia de fornecer ferramentas tecnológicas e de avaliação é auxiliar nos processos de ensino e aprendizagem com o intuito de aprimorar as práticas pedagógicas. Para posteriormente poder aplicá-los tanto em sala de aula, como também em experiências virtuais dentro da sala de aula ou virtualmente, integrando a tecnologia com a prática.

A estratégia propõe que o treinamento seja realizado pela Internet com dois momentos de comunicação direta entre os facilitadores e os participantes. Em cada uma das salas virtuais, os participantes se comunicarão diretamente com seus facilitadores, tendo a oportunidade de interagir com os demais participantes. Além disso, serão realizados treinamentos para esclarecer dúvidas e coordenar a forma como é trabalhado cada um dos Objetos Virtuais de Aprendizagem (OVAs) desenvolvidos para o ensino.

O treinamento “Ensino de Química na modalidade virtual” é desenvolvido no âmbito do Plano Estratégico Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (PENCYT 2019-2024) do SENACYT. Com objetivos estratégicos para o setor da educação, almeja promover uma educação equitativa e de qualidade na área científica e tecnológica, buscando fortalecer as capacidades do corpo docente em ciências, matemática e tecnologia.

Porém, para que um maior número de professores tenha acesso às aulas virtuais, é necessário que exista um plano de banda larga nacional que ofereça cobertura para um grande número de pessoas. Nesse sentido, tecnologias como a LTE e 5G apresentam uma oportunidade de aumentar a cobertura em áreas rurais e distantes dos centros urbanos de forma rápida e com altos níveis de transmissão de dados.

Para estimular a adoção dessas tecnologias, recomenda-se que as autoridades adotem medidas relacionadas à uma maior disponibilidade de espectro radioelétrico e à redução de entraves burocráticos na implantação de infraestrutura. Essas medidas são ideais para acompanhar o desenvolvimento de estratégias de educação a distância.