ONGs em Barbados recebem laptops

O desenvolvimento de um ambiente digital que permita aos países aderirem à nova tendência produtiva global é fundamental. Para isso, a educação, tanto em seus aspectos formais quanto informais, constitui uma opção para que as sociedades caminhem em direção a uma maior participação da tecnologia nos serviços móveis.

Nesse sentido, duas organizações não governamentais (ONGs) de Barbados (ONGs Caribbean Science Foundation e I Am A Girl Barbados) que se dedicam a incentivar jovens a adquirirem diferentes habilidades para melhorar suas condições de vida e construir uma carreira profissional, receberam doações de laptops do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A Associação de Famílias do BID visa melhorar a qualidade de vida de comunidades vulneráveis ​​na América Latina e no Caribe. Sendo assim, prioriza o apoio a projetos que beneficiem crianças, adolescentes e mulheres, principalmente aqueles que promovam aprendizagem e capacitação que possam gerar impacto positivo na comunidade.

Por sua vez, I Am A Girl Barbados tem como missão fornecer oportunidades para que as meninas liderem mudanças positivas no país. Para isso, atua no desenvolvimento de capacitação, aspectos comunitários, tutoria e advocacy para meninas de 5 a 18 anos, também funciona como fonte de orientação e apoio para o desenvolvimento em geral e se estende até a fase adulta.

Com base nessa doação, a ONG busca desenvolver uma programação voltada para as meninas. Além de fornecer recursos para o desenvolvimento pessoal e educacional de menores em um plano relacionado ao mundo digital. Também trabalhará para oferecer treinamento em gestão de tecnologia e mídia digital, a fim de melhorar a alfabetização digital e sua competência para projetos de trabalho, comerciais e comunitários.

Dessa forma, buscam que as meninas tenham uma perspectiva abrangente e uma base de competências para avançar na nova economia digital, para que possam aumentar sua criatividade, promover sua iniciativa empreendedora e capacitar as meninas para terem uma vantagem em suas carreiras.

Já a Caribbean Science Foundation (CSF) trabalha para aproveitar as vantagens da ciência e da tecnologia para o desenvolvimento econômico da região. Adota uma variedade de programas. O objetivo é usar os laptops para facilitar as hackathons, que acontecem duas vezes por ano para ajudar a treinar a força de trabalho de tecnologia do futuro.

Todos os anos a ONG recebe alunos que procuram participar das oficinas que realizam, embora não tenham os dispositivos necessários. Em outros casos, eles não contam com o número de dispositivos necessários na família para acessar, ou têm dispositivos que não suportam o software que o treinamento exige.

Os aparelhos recebidos serão destinados aos casos extremos de alunos que não têm condições econômicas de adquirir um computador e que desejam aprender e contribuir com sua comunidade. O objetivo da ONG é evitar que o não acesso a dispositivos seja um obstáculo para o progresso dos jovens.

Para que essas iniciativas tenham um impacto mais eficiente na sociedade, é importante que os jovens e meninas beneficiados tenham acesso à banda larga fora das ONGs, a fim de aumentar suas oportunidades de trabalho utilizando tecnologia. A banda larga móvel apresenta-se como ideal para atingir áreas rurais e distantes dos grandes centros urbanos.

Em especial tecnologias como LTE e 5G, que, por suas características, oferecem acesso de banda larga robusto e de alta velocidade. Para estimular a sua adoção, é importante que as autoridades aumentem a quantidade de espectro radioelétrico disponível para este tipo de serviços, bem como reduzam os entraves burocráticos que existem para o desenvolvimento dessas redes.