O que são as redes privadas LTE / 5G?

As melhorias introduzidas nas tecnologias sem fio 3GPP, usadas tradicionalmente nos serviços públicos, passam a ser viáveis para implantação em redes empresariais ou privadas. Na América Latina, países como Brasil e Chile analisam seu desenvolvimento.

São Paulo, 25 de agosto de 2022 – À medida que a transformação digital abre caminho através de uma ampla variedade de indústrias, as empresas e segmentos verticais de negócio demandam comunicações mais confiáveis e previsíveis em centros de operações geograficamente distribuídos. As aplicações empresariais são cada vez mais rigorosas e precisas em seus requisitos de espectro radioelétrico, largura de banda e controle detalhado de aplicações e containers, independentemente da tecnologia de acesso ou modelo operativo.

Deste modo, as redes empresariais ou privadas do futuro poderão ser arquiteturas híbridas que combinam tanto tecnologias 3GPP (Projeto de Associação de Terceira Geração) como no 3GPP. Seu modelo de gestão e acesso também poderá apresentar variantes, podendo ser geridas pela empresa, pela operadora ou por redes separadas que funcionam de forma paralela.

Isto se deve, tradicionalmente, ao setor corporativo que tem realizado grandes investimentos em infraestrutura de telecomunicações no 3GPP, contudo as melhorias introduzidas nos últimos anos nestas tecnologias têm se posicionado como uma alternativa eficiente em termos de custos e de grande potencial, devido à suas características técnicas.

Na América Latina, países como Brasil e Chile estão contemplando destinar porções de espectro radioelétrico para redes privadas em diversas bandas, devido ao potencial benefício econômico deste tipo de infraestrutura, segundo indicado no infográfico elaborado pela 5G Americas.

“De acordo com várias fontes do mercado, as redes privadas constituem um mercado sumamente atrativo, vigoroso, com altos números de faturação. Cada negócio deve determinar como a 5G se ajusta à sua estratégia, considerando que a 5G é a catalisadora de muitas outras tecnologias que se relacionam com as redes privadas, entre elas blockchain, inteligência artificial, computação de nuvem e na nuvem, realidade aumentada, robótica, metaverso e internet das Coisas (IoT). Todas essas tecnologias e aplicações estarão viabilizadas e suportadas pela 5G, graças, em parte, às melhorias técnicas das quais se aumenta o número de conexões que podem suportar por quilometro quadrado, contudo, também pela redução em custos de transmissão de dados. Neste sentido, tecnologias que anteriormente já existiam, mas que devido ao alto custo não eram amplamente adotadas, agora se tornam mais atrativas e começam o processo de massificação”, indicou José Otero, vice-presidente da 5G Americas para América Latina e Caribe. [DOWNLOAD]

###

Sobre a 5G Americas: A Voz da 5G e LTE para as Américas

A 5G Americas é uma associação setorial dos principais provedores de serviços e fabricantes do setor de telecomunicações. A missão da organização é de apoiar e promover o desenvolvimento total das capacidades da tecnologia sem fio LTE e sua evolução além da 5G, em todo o ecossistema de redes, serviços, aplicativos e dispositivos sem fio nas Américas. A 5G Americas fomenta o desenvolvimento de uma comunidade conectada e sem fio e está liderando o desenvolvimento da 5G para toda a região das Américas. A 5G Americas é sediada em Bellevue, no estado de Washington. Para mais informações, visite o site para o Brasil www.brechazero.com.br. Siga-nos no Twitter: @5GA_Brasil, e acompanhe nosso grupo no Linkedin: 5G Americas – Latin America & Caribbean.

Os Membros do Conselho de Administração da 5G Americas incluem: Airspan Networks Inc., Antel, AT&T, Ciena, Cisco, Crown Castle, Ericsson, Intel, Liberty Latin America, Mavenir, Nokia, Qualcomm Incorporated, Samsung, Shaw Communications Inc., T-Mobile US, Inc., Telefónica, VMware, and WOM.