O IFT do México promove a educação e a pesquisa em telecomunicações

O desenvolvimento de uma economia digital requer um trabalho conjunto dos diferentes órgãos do Estado. Embora muitas vezes essa tarefa seja deixada para os ministérios e alguns órgãos de controle, a inclusão do setor acadêmico nesse esforço tornou-se uma contribuição indispensável.

Nesse sentido, o Instituto Federal de Telecomunicações (IFT) e o Colégio de Bacharéis do

México assinaram um Acordo de Colaboração que estabelece as bases gerais de coordenação para realizar ações conjuntas que fomentem a pesquisa, educação, treinamento e desenvolvimento tecnológico no campo das telecomunicações e radiodifusão no país.

Através deste acordo, as instituições comprometem-se a promover a alfabetização digital para contribuir para a inclusão digital, os direitos dos usuários, a livre concorrência, a confiança, o uso responsável e seguro das telecomunicações, das tecnologias de informação e comunicação e dos serviços digitais.

Da mesma forma, o acordo oferece a possibilidade de gerar profissionais que contribuam para fechar as brechas no acesso, acessibilidade e uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Dessa maneira, busca-se que o Colégio de Bacharéis se torne o celeiro de talentos para promover a inclusão digital e, junto com o IFT, sejam peças-chave para trabalhar de perto na construção de um México mais conectado, com mais oportunidades e maior bem-estar. Outro objetivo desse contrato consiste na colaboração com outras instituições para promover o desenvolvimento das telecomunicações e da radiodifusão no México.

Por outro lado, a aliança entre ambas as instituições permitirá inicialmente a formação de

docentes na área da informática e design, e a organização e divulgação conjunta de eventos acadêmicos abordando questões digitais e também a  concessão de novas oportunidades ocupacionais focadas no fortalecimento de competências de inclusão digital.

Entre os escopos deste contrato estão:

– Elaborar e desenvolver projetos e programas de atualização, treinamento, educação

e capacitação, nas questões relacionadas ao objetivo do Acordo no âmbito das

atribuições e propósitos das partes envolvidas.

– Organizar e participar em fóruns, conferências, seminários, simpósios, workshops e cursos.

– Promover a divulgação de publicações e eventos relacionados ao tema do Convênio.

– Elaborar e desenvolver materiais promocionais, de divulgação e informativos, bem como conteúdo editorial, relacionados ao objetivo do Contrato, de acordo com suas finalidades, atribuições e áreas de competência.

Assim, o acordo se torna uma oportunidade para melhorar a educação dos jovens mexicanos no que diz respeito às telecomunicações. No entanto, essas tecnologias devem vir acompanhadas de outras iniciativas que busquem ampliar o acesso à banda larga no

país. Particularmente serviços de banda larga móvel, como a LTE e a 5G, que devido às suas condições podem transportar dados de forma robusta e em alta velocidade para uma grande parte do país.

Para isso, é fundamental que maiores porções de espectro radioelétrico sejam disponibilizadas ao setor de telecomunicações, bem como uma agenda com planos de licitações futuras seja criada, para que as operadoras possam planejar com eficiência o assentamento de suas redes. Na mesma linha, os entraves burocráticos que pesam sobre o setor na implantação da infraestrutura devem ser agilizados, e deve haver a geração de um padrão único e a criação de uma janela única de trâmites, ações que estão entre as melhores práticas internacionais.

Como pode-se perceber, o acordo entre o IFT e o Colégio de Bacharéis faz parte de uma iniciativa positiva para o mercado mexicano, embora deva ser apoiada por outras que facilitem o desenvolvimento da banda larga móvel para potencializar seus resultados.