O futuro da saúde digital das crianças salvadorenhas

O desenvolvimento da digitalização é uma das metas buscadas pelos diferentes países da América Latina e do Caribe. Na exploração dessas metas, está a implementação de equipamentos tecnológicos para melhorar o atendimento à saúde das crianças salvadorenhas, um objetivo que busca otimizar as condições de vida dos cidadãos e potencializar o desenvolvimento do setor de saúde.

À medida que o mundo avança na era digital, as indústrias e as instituições são obrigadas a se adaptar aos efeitos e impactos da tecnologia. A saúde não é exceção. Os avanços tecnológicos estão revolucionando tanto a prestação de serviços médicos quanto as formas como os pacientes acessam informações médicas e se comunicam com os profissionais de saúde.

Os benefícios dessas novas tecnologias falam por si só. O pessoal médico hoje é capaz de realizar cirurgias com maior precisão, diagnosticar condições e acompanhar o bem-estar dos pacientes com maior eficiência, prevenir e tratar doenças de maneiras nunca antes vistas, entre outros.

Nesse mesmo sentido, o trabalho intersectorial tornou-se a base para o desenvolvimento de projetos importantes da atual gestão de El Salvador, que visam proporcionar uma melhor qualidade de vida aos seus cidadãos. É por isso que o fortalecimento tecnológico do Sistema Nacional Integrado de Saúde foi realizado no âmbito da implementação do Ecossistema de Inovação em Saúde.

Esta iniciativa, coordenada pela Secretaria de Inovação juntamente com o Gabinete da Primeira Dama e com o apoio estratégico da UNICEF, visa melhorar os serviços para os pacientes e a atenção médica através do uso de equipamentos tecnológicos, incluindo 234 tablets, 27 laptops, 15 computadores, bem como 305 servidores de baixa performance e 45 servidores de média performance.

Essas instalações e oportunidades fornecem a todas as crianças do país atendimento de forma equitativa, não apenas em termos de saúde, mas também em relação às emoções e ao desenvolvimento adequado. Através desse equipamento tecnológico, busca-se agilizar o registro e controle médico desde o nascimento.

Essas iniciativas podem ser realizadas, desde que seja estimulado o acesso à banda larga móvel no mercado. Com o desenvolvimento de tecnologias como LTE e 5G, é possível conectar um grande número de dispositivos capazes de transmitir volumes massivos de dados.

Também é necessário que a tecnologia tenha o espectro adequado. Portanto, deve haver políticas que disponibilizem à indústria de serviços móveis maiores porções de espectro radioelétrico e uma agência com futuros leilões que permita planejar todo o desdobramento das redes necessárias para a conexão.

No mesmo sentido, as autoridades devem reduzir a quantidade de obstáculos burocráticos que pesam na implantação de infraestrutura no mercado. Especialmente no que diz respeito às entidades de serviços móveis. O desenvolvimento de uma única norma que reúna as demandas dos diferentes níveis do Estado está entre as melhores práticas internacionais. Assim como a geração do conceito de uma janela única para trâmites que permite que as operadoras interajam com um único interlocutor com as autoridades, agilizando assim a apresentação de documentação.

Como pode ser visto, essa iniciativa promovida pelo governo de El Salvador em relação à digitalização da saúde é muito importante. No entanto, deve estar vinculada a outras estratégias que melhorem o acesso à banda larga no mercado.