O Equador desenvolve app para autodiagnostico das habilidades digitais

Existem diferentes iniciativas que podem desenvolver os governos no momento de buscar uma redução da exclusão digital. Desde o incentivo de planos de conectividade, até a entrega de dispositivos para a formação escolar, esses são exemplos dos esforços que as diversas administrações realizam para melhorar o acesso digital nos países.

Com esse objetivo o Ministério de Telecomunicações e da Sociedade da Informação (MINTEL) do Equador desenvolveu um app de autodiagnostico denominado “Habilidades Digitais”. Este permite que, por meio de um computador ou dispositivo móvel, o cidadão possa medir as habilidades digitais em até cinco áreas de competência.

O app foi apresentado durante o “Aldeas Digitales”, um evento que reuniu expoentes nacionais e internacionais, e contou com espaços interativos dos quais apresentaram as últimas tendências do mundo digital. As áreas utilizadas para avaliar os cidadãos são: informação e alfabetização informacional, comunicação e colaboração, criação de conteúdos digitais, segurança da informação e resolução de problemas.

A aplicação foi uma iniciativa desenvolvida pela “Subsecretaría de Inclusión Digital y la Dirección de Alistamiento” do MINTEL, com a colaboração do Gestor Social da Loja e de alguns facilitadores dos infocentros dessa província. Seu objetivo é que cada cidadão possa medir o nível de conhecimento em temáticas relacionadas às Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC).

A partir do uso das apps busca-se identificar possíveis exclusões de conhecimento, com o objetivo de que pode-se trabalhar para erradica-las por meio de cursos e capacitações oferecidas, gratuitamente, nos infocentros comunitários do país. Assim, o app funciona como uma avaliação de cada um dos cidadãos, alertando-os sobre quais temas devem estar mais preparados para que possam apropriar-se das TIC e acessar novas oportunidades de trabalho.

A intenção das autoridades é lançar o app nos 856 infocentros comunitários do país. Com o objetivo de que, além das iniciativas individuais de cada um dos alunos, a aplicação possa ser utilizada nas áreas do estado onde se forma a população do universo digital.

O desenvolvimento de um app que permite à população conhecer e aperfeiçoar o uso das TIC é importante para um país cujas autoridades realizam esforços na diminuição da exclusão digital. A realização possibilita aos cidadãos melhorar a apropriação da tecnologia para usá-la em suas atividades cotidianas e produtivas, melhorando dessa forma suas oportunidades de inserção em novo padrão produtivo associado à conectividade e à economia digital.

A iniciativa é importante também para que as autoridades possam ir corrigindo os diferentes planos de formação que preparam de acordo com as demandas dos usuários. Desta forma, pode-se melhorar os diferentes cursos preparatórios para que a população obtenha maiores benefícios do uso das TIC.

A este tipo de iniciativa deve ser acrescentada melhorias no acesso da população.  Ou seja, que além da formação e avaliação sobre o uso das TIC, devem existir maiores facilidades para que a população acesse serviços de banda larga para assim colocar em prática seus conhecimentos. Em particular, os serviços de banda larga móvel são os melhores, já que permitem alcançar grandes coberturas de forma rápida e eficiente, com altas velocidades de acesso e conectividade robusta.

Tecnologias como a LTE, e em um futuro próximo a 5G, possibilitam o acesso de grandes porções da população de forma mais simples e eficiente. Para incentivar as operadoras a desenvolver estas tecnologias é necessário que as autoridades coloquem à disposição uma maior porção de espectro radioelétrico, de forma equitativa para todos os players do mercado. É também necessário que se gere uma agenda com futuras licitações de espectro que gere previsibilidade no mercado.

Outra iniciativa que deve ser realizada está relacionada com a flexibilização das demandas dos diferentes municípios na instalação de redes de telecomunicações, e em particular de antenas. É importante que exista uma norma que aglutine estas demandas e permita às operadoras conhecer de antemão os obstáculos que enfrentam neste sentido, para poder ter uma maior previsibilidade no momento de desenvolver uma nova rede.

Neste mesmo sentido, é necessário que se reduzam os impostos que pesam sobre os componentes de rede, para que as operadoras possam desenvolver suas redes da melhor maneira. Tanto que uma baixa nos impostos dos terminais de acesso permitiria uma maior acessibilidade, o que resulta em maiores porções da população conectada.

Como se observa, contar com um app que permite aos cidadãos avaliar suas condições de uso das TIC pode ser uma ferramenta significativa para diminuir a exclusão digital. No entanto é necessário que estejam acompanhadas por iniciativas que buscam aumentar a conectividade no mercado.

0 comments on “O Equador desenvolve app para autodiagnostico das habilidades digitais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.