O compartilhamento de infraestrutura é fundamental para implantação das rede

A banda larga móvel tornou-se uma ferramenta básica para manter a atividade econômica e o desenvolvimento social. Para continuar a avançar na implantação e atualização das redes de telecomunicações exigidas pela tecnologia 4G e 5G, é necessário facilitar o desenvolvimento de licenças governamentais que estabeleçam mecanismos que incentivem a instalação das redes.

Neste contexto, a 5G Americas convidou Emiliano Rodríguez, Gerente de Alianças da Telefónica Hispam, para que em sua apresentação pudesse mostrar a relevância das coalizões e colaborações que fazem parte das soluções para superar os atuais desafios do setor. No webinar “Alianças e modelos colaborativos no compartilhamento de infraestruturas”. Rodríguez garantiu que é necessário repensar os modelos tradicionais para continuar a tendência de forma sustentável e eficaz.

Durante sua apresentação, Emiliano Rodríguez destacou que o compartilhamento de infraestruturas é um elemento chave que permite uma maior implantação das redes interligadas, conseguindo uma maior cobertura que, por sua vez, proporciona uma capacidade de ligação de melhor qualidade, ajustada às necessidades de cada beneficiário, proporcionando economia energética e caminhando rumo ao fim da exclusão digital.

O palestrante ainda afirmou que os desafios setoriais do mercado das telecomunicações levaram a repensar os modelos tradicionais de gestão para continuar a implantar redes de forma sustentável.
Ele indicou que os fatores cruciais da conectividade fixa exigem uma modernização de mais de 20 milhões de acessos com uma procura de alta velocidade de 100Mbps. Assegurando que as redes de cobre se tornaram obsoletas e inescaláveis ​​face à procura de acesso de alta velocidade.

O especialista garantiu ainda que a conectividade móvel deve ter expansão das redes 4G legadas, e que se deve apostar na implantação da 5G e na remoção da rede 2G obsoleta para alcançar maior capacidade espectral e backhaul.

Por fim, o analista comentou que as alianças de infraestruturas irão acelerar o crescimento do país ao ganhar cobertura e capacidade da rede de acesso fixo, criando sinergia adicional. O compartilhamento de redes móveis permitirá que a 5G e outras tecnologias sejam implementadas de forma mais eficiente.

Segundo Rodríguez, a unificação das redes, a regulação, a cobertura ou capacidade, a compensação, entre outros, constituem os principais desafios nos modelos de partilha ativa nas redes móveis.