Ministério da Educação do Chile lança ações em 2018 para seu plano Enlaces

Os planos que buscam organizar a inclusão das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) na educação têm diferentes arestas que vão desde a entrega de dispositivos até a conectividade dos estabelecimentos ou a formação dos corpos docentes. Entre elas, destaca-se a necessidade de atualizar em diferentes projetos que confirmam esta iniciativa. Assim, podem corrigir e aprimorar suas experiências.

Nesse sentido, o Ministério de Educação do Chile lançará quatro novos projetos durante 2018 no que se refere às suas políticas associadas ao seu plano Enlaces. Esta iniciativa iniciou-se em 1992 a fim de contribuir na melhoria da educação a partir da inclusão da informática e do desenvolvimento de uma cultura digital. Nela entram todos os colégios subvencionados do Chile, dos quais recebem estratégias de ensino com o uso da tecnologia, capacitação para os professores, workshops para estudantes, recursos educacionais digitais e infraestrutura.

Entre as mudanças alcançadas pelo programa Enlaces desde o seu lançamento, destaca-se a redução da exclusão digital com professores, a partir da incorporação destes para as TIC, capacitando mais de 210.852 docentes. Também contribuiu para modificar a percepção no papel das TIC na educação, mudando para que exista uma grande demanda de todo o sistema educativo para implementar as diversas políticas realizadas pelo Enlaces.

Assim, por meio desta crescente presença de infraestrutura tecnologia digital nas escolas buscou-se melhorar algumas das “competências essenciais do século XXI”. Entre elas, destacam-se as competências digitais, e aquelas relacionadas com a busca e seleção de informação, a comunicação e o trabalho em equipe, a análise crítica e a resolução de problemas. Além disso, conseguiu que 66% dos estudantes mais vulneráveis tivessem acesso às tecnologias na escola.

Para melhorar a iniciativa o programa Enlaces lançou uma série de projetos a serem realizados em 2018. O primeiro deles é o “Meu Workshop Digital de Programação”, cujo objetivo é que os alunos aprendam elementos básicos de programação de computadores usando a plataforma “Jovens Programadores”, pertencente ao programa Biblioredes do DIBAM. Lá, os alunos usarão Scratch, um ambiente de programação projetado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), para que eles possam criar histórias, jogos e animações interativas, usando blocos de programação ou “peças encaixáveis”, o que lhes permitirá aprender a programar fácil e eficiente.

Outra das propostas do programa é o “Padrão de Equipamentos em Centros de Educação Integrado de Adultos”. Isso busca fornecer aos Centros de Educação Integrada de Adultos ferramentas tecnológicas, com o objetivo de complementar a aprendizagem de jovens e adultos sem escolaridade ou com escolaridade incompleta. Além disso, com sua implementação, os professores são treinados em habilidades de TIC para a aprendizagem (HTPA) e metodologias para transferi-las para seus alunos.

O programa Enlaces também propõe a iniciativa “Tecnologias de acesso universal para a educação”. O objetivo é que os estabelecimentos educacionais usem eficientemente a tecnologia entregue, melhorem suas práticas pedagógicas, apliquem propostas metodológicas e didáticas que favoreçam os alunos à comunicação, a participação, a aprendizagem e o acesso ao currículo nacional atual, contribuindo para o desenvolvimento de uma educação inclusiva e sustentável. Para participar desta iniciativa particular, os estabelecimentos de ensino devem fazer parte de uma das duas categorias destacadas abaixo: a) TIC e múltiplos desafios: escolas especiais orientadas que atendem estudantes com múltiplas incapacidades; b) Tiflotecnologias para a Educação: orientadas para escolas especiais e estabelecimentos de ensino regulares com o Programa de Integração Escolar (PIE), voltado para estudantes cegos ou com baixa visão, das regiões de Magallanes e Antártica Chilena e Metropolitana.

Por fim, a iniciativa “Iluminação Wifi”, que fornece estabelecimentos educacionais com uma solução tecnológica sem fio (WIFI). Seu objetivo é melhorar a conectividade das instalações educacionais e, assim, apoiar o processo de ensino e aprendizagem dos alunos.

A conectividade é um ponto de grande importância no desenvolvimento dos diferentes planos para incluir as TIC na educação. A possibilidade de proporcionar acesso às escolas deve estar dentro dos objetivos de qualquer plano a nível nacional, embora para isso seja necessário que haja trabalho conjunto entre as áreas de telecomunicações e educação dos Estados. Em outras palavras, criar condições para a conectividade no país resultará em melhores opções para incluir as TIC nas escolas.

Neste contexto, o trabalho desenvolvido para aumentar o acesso à banda larga nos países é importante, principalmente a partir de regulamentos que permitem o acesso à banda larga móvel e sem fio, que, devido às suas condições, possibilita a cobertura em áreas remotas de centros urbanos ou rurais. Nessa estrutura, as estratégias que disponibilizam à indústria uma maior quantidade de espectro radioelétrico são necessárias para encorajar o acesso ao mercado.

Da mesma forma, é importante que os requisitos burocráticos para a instalação da infraestrutura de telecomunicações sejam facilitados. Além da redução de impostos no que se refere aos terminais de acesso e aos componentes da rede, facilitando assim a cobertura dos serviços e as opções de conectividade dos habitantes.

Como pode ser visto, as iniciativas concretizadas pelo plano Enlaces são de grande importância para aumentar a inclusão das TIC na educação. Embora seja necessário que estas sejam acompanhadas de políticas que busquem aumentar a conectividade dos serviços de banda larga móvel no mercado, a fim de aumentar seus efeitos.

0 comments on “Ministério da Educação do Chile lança ações em 2018 para seu plano Enlaces

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.