Ministério das Comunicações do Brasil entrega computadores para escolas do Mato Grosso do Sul

Entre as políticas que buscam ampliar o acesso às tecnologias de informação e comunicação (TIC) na educação, está a entrega de dispositivos de acesso para escolas. Essas iniciativas permitem que o país avance no desenvolvimento da economia digital.

Nesse sentido, o Ministério das Comunicações do Brasil anunciou a entrega de 4.000 computadores para 34 escolas de Mato Grosso do Sul. A iniciativa beneficiará mais de 13 mil alunos. Simultaneamente, foram implantados os programas Wi-Fi Brasil, na Universidade Aberta do Brasil em Porto Lindo e na Escola José Alencar.

Dessa forma, Mato Grosso do Sul recebeu do Ministério das Comunicações mais de 300 pontos de Wi-Fi em diversos locais públicos. A meta do portfólio é conectar 100% das escolas rurais do estado.

Dos computadores entregues, cerca de 500 correspondem ao programa Computadores para Inclusão, que já formou 221 pessoas por meio de diversos cursos técnicos oferecidos nos Centros de Recondicionamento de Computadores (CRCs).

Em todo o Brasil, o programa forneceu quase 26 mil computadores para cerca de 600 municípios, com o objetivo de promover a inclusão digital. Os equipamentos recebidos pelos CRCs passam por um processo de recondicionamento que consiste em limpeza, teste, troca de componentes e instalação de aplicativos.

O programa também oferece cursos em diferentes áreas TIC, como informática, suporte e robótica. Até agora, 17 mil pessoas foram capacitadas nos 103 cursos oferecidos pelo CRC.

No Mato Grosso do Sul, a Wi-Fi Brasil instalou 286 pontos de conexão, sendo 90% na zona rural e 117 deles em escolas públicas. O Ministério das Comunicações planeja, em parceria com a Telebrás, criar mais de 10 pontos, abrangendo, assim, todas as escolas do Estado.

Com o objetivo de levar conectividade de alta velocidade para localidades do país onde há pouca ou nenhuma conexão, essa iniciativa conta com mais de 15 mil pontos em operação. Cerca de 10 mil novos pontos serão instalados nos próximos 3 meses em locais como aldeias indígenas, comunidades locais, unidades de educação, saúde, segurança e serviço público, além de entidades da sociedade civil sem fins lucrativos.

Para avançar na digitalização dessas áreas, também é necessário implementar um plano que busque estimular o desenvolvimento de serviços de banda larga móvel. Em particular através de políticas que visem melhorar as condições para o desenvolvimento desta indústria no meio rural, especialmente através de tecnologias como LTE e 5G.

Nesse sentido, tornam-se importantes as políticas que buscam melhorar a quantidade de espectro radioelétrico disponível para esse tipo de tecnologia. Também é importante que as autoridades brasileiras criem uma agenda com futuros leilões de espectro, o que possibilita à indústria planejar com eficiência a implantação de novas redes.

Da mesma forma, é necessário que as autoridades diminuam os entraves burocráticos,presentes no mercado, para a implantação de redes de telecomunicações. A geração de um padrão único que reúna as diferentes demandas do Estado faz parte das melhores práticas internacionais. Assim como a geração de uma janela única para procedimentos.

Nesse contexto, é muito importante a iniciativa das autoridades brasileiras para aumentar a conectividade nas áreas rurais e distantes dos centros urbanos. No entanto, também devem ser criadas condições para que as operadoras de telecomunicações ajudem a reduzir a digital.