Ministério da Saúde da Domínica cria Registro Nacional de Vacinação

A digitalização dos serviços de saúde avançou a passos largos durante a pandemia de Covid-19 na América Latina e no Caribe. Ela implementou diferentes funcionalidades para os pacientes  e a inclusão das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) que permitiram melhorar as condições do setor.

Nesse sentido, o governo da Domínica por meio de seu Ministério de Saúde e Bem-Estar implementou o Registro Nacional Electrônico de Vacinação. O objetivo desta iniciativa é melhorar a gestão de dados e aumentar o acesso dos cidadãos aos registos de vacinação.

Desta maneira, o Registro Nacional Electrônico de Vacinação (EIR) se transforma em uma ferramenta online que facilita o seguimento dos calendários de vacinação individuais e o armazenamento dos históricos de vacinação. Além disso, as autoridades esperam que ele melhore o desempenho, a cobertura e a eficiência do Programa Ampliado de Imunização (PAI).

Do ponto de vista político, o EIR foi encarregado para Domínica pela Unidade EPI do Ministério de Saúde, Bem-Estar e Novos Investimentos em Saúde, financiado pela Organização Panamericana de Saúde (OPS). Sua implementação foi concluída em abril de 2022 e implicou na capacitação de 100 enfermeiros, assistentes de saúde comunitários e empregados para colocar os dados para usar a plataforma nas clínicas de vacinação nos centros de saúde da Domínica.

Sendo assim, se capacitaram as enfermeiras em suas instalações utilizando técnicas para tecnologias avançadas. Para fortalecer seu conhecimento sobre o sistema, será fornecida capacitação contínua através de uma plataforma interativa de aprendizagem eletrônica, com vídeos instrutivos e questionários, respaldados por manuais de treinamento.

Desta forma, cria-se um sistema de informação de imunização que inclui todas as áreas de gestão da vacinação, para melhorar as taxas de imunização, a produtividade e a eficiência. O plano busca promover a tomada de decisões baseada em provas e uma coleta e gestão de dados mais fiéis.

Para que este registro tenha eficácia de forma rápida e permita uma coleta de dados de forma eficiente é necessário que os centros de saúde contem com conexão à banda larga. Incluindo aqueles afastados dos grandes centros urbanos que vacinam a população rural. Para estes centros em particular é de grande importância que a banda larga seja móvel, que, por suas características, permite chegar de forma rápida.

Tecnologias como LTE e 5G apresentam-se como uma oportunidade para fornecer acesso aos centros mais afastados do país, já que possibilitam altas velocidades de dados, com robustas transmissões e baixas latências. Isto obriga as autoridades da Domínica a criar as condições necessárias para potencializar esta tecnologia.

Entre as políticas a levar adiante, é de significativa importância que haja uma maior disponibilidade de espectro radioeléctrico para a indústria de telecomunicações. Da mesma forma, é primordial a geração de uma agenda que possibilite às operadoras conhecer as próximas licitações de espectro para que, assim, planejem de maneira mais eficiente os desenvolvimentos de novas redes.

No mesmo sentido, é necessário que se reduzam os entraves burocráticos que existem sobre a instalação de redes. A criação de uma norma que reúna as normas de diferentes níveis do Estado está entre as melhores práticas internacionais. Da mesma maneira, é importante que se implemente o conceito de balcão único como procedimento, para facilitar o trabalho das operadoras.

Como se pode observar, a iniciativa levada adiante pelas autoridades de Dominica é importante para que o sistema de saúde conheça as condições de vacinação da população. Entretanto, tem que estar acompanhada por outras políticas que tendem a estimular o acesso à banda larga móvel no mercado.