México desenvolve guia de segurança cibernética para apoiar os teletrabalhadores

A pandemia de Covid-19 levou muitos países da América Latina a tomar a decisão de aumentar o distanciamento social, o que afeta diretamente as cadeias produtivas dos países. As empresas que tiveram a possibilidade de permanecer em operação optaram pelo teletrabalho para dar continuidade à produção.

Nesse cenário, o Ministério das Comunicações e Transportes (SCT) do México criou o Guía de Ciberseguridad para el uso de redes y dispositivos de telecomunicaciones en apoyo al teletrabajo”. É um documento que contém recomendações simples e práticas para usuários e organizações orientando  como manter os dispositivos de comunicação e redes que utilizam seguros

O guia explica a falta de informações ou de conhecimento dos riscos e ameaças de segurança cibernética. Essa situação supõe o aumento no uso de dispositivos pessoais para o teletrabalho, a maior dependência de ferramentas digitais, o aumento substancial no tempo on-line, fatores que criaram uma enorme área de exposição a ataques cibernéticos.

Entre as ameaças mais comuns listadas pelo SCT estão: as que têm como alvo smartphones, laptops, tablets e redes de telecomunicações sem fio (Wi-Fi). Ao chamar a atenção sobre esses perigos depois são oferecidos conselhos de como evitá-los.

Durante o planejamento das recomendações, o STC procurou torná-las facilmente aplicáveis ​​a todos, especialmente aos funcionários das Micro, Pequenas e Médias Empresas. Dessa forma, busca reforçar as condições de digitalização nas empresas.

Por outro lado, também são oferecidos links para cursos gratuitos ofertados pelos Centros de Inclusão Digital (CID) da SCT, que podem ser úteis para usuários interessados ​​em ampliar suas habilidades e capacidades de segurança cibernética. Dessa forma o documento também beneficia  os trabalhadores.

Para que a iniciativa seja relevante, deve haver uma ampla adoção do Teletrabalho, o que, por sua vez, exige um esforço por parte das autoridades para aumentar o acesso à banda larga junto à população. Nesse sentido, devido às suas condições, a banda larga móvel se apresenta como uma alternativa positiva para aumentar o acesso da população.

Por esse motivo, é essencial que as autoridades implantem o maior número possível de ferramentas para aumentar a conectividade de banda larga móvel para a  população. Estimulando particularmente o desenvolvimento de tecnologias como LTE e 5G, que permitem acesso robusto e de alta velocidade para a implantação de diferentes atividades produtivas a partir de casa.

Maior disponibilidade de espectro de rádio para serviços de banda larga móvel é um dos objetivos que as autoridades devem buscar. Nesse sentido, a geração de uma agenda para futuros concursos de espectro de rádio é uma medida necessária para que a indústria planeje com eficiência a instalação de suas redes.

Também é importante que haja uma redução das barreiras burocráticas existentes para a instalação de redes de telecomunicações. É importante que exista uma política de trâmites únicos para facilitar o processamento dessas implantações. Além de uma regulamentação nacional que reúna e padronize as medidas para que as operadoras possam ter maior previsibilidade ao planejar a instalação de suas redes.

Em resumo, a iniciativa de criar um guia de segurança cibernética para facilitar o teletrabalho é positiva para o setor produtivo mexicano. No entanto, deve ser acompanhada de estratégias que busquem aumentar a conectividade da população, a fim de capacitar os diferentes setores produtivos presentes no mercado.