México avança na cobertura de serviços móveis em áreas rurais

O desenvolvimento de uma economia digital exige das autoridades um trabalho árduo para melhorar as condições de acesso à banda larga da população. Particularmente no que diz respeito às áreas rurais e áreas distantes dos grandes centros urbanos, que permitem promover o crescimento e a digitalização de setores como a agricultura e a pecuária.

Nesse sentido, o Instituto Federal de Telecomunicações (IFT) apresentou seu segundo Relatório de Cobertura do Serviço Móvel nas Zonas Agrícolas do México para o ano de 2020. O relatório permite mapear as zonas de produção agrícola temporárias e protegidas que têm cobertura móvel utilizando as tecnologias 3G e 4G.

Entre suas principais conclusões, destacam-se:

  • As unidades de produção agrícola protegidas localizadas nos estados de Aguascalientes, Baja California Sur, Cidade do México, Guanajuato, Michoacán, Nuevo León e Tamaulipas contam com 100% de cobertura de serviço móvel com 3G ou 4G.
  • Oaxaca, possui 10.069 unidades de produção, campos ou plantações de agricultura protegida, das quais 54% têm cobertura móvel em pelo menos uma tecnologia (3G e 4G).
  • No estado de Chiapas existem 138.534 unidades de produção, campos ou plantações de agricultura temporária, das quais 63% têm cobertura móvel com pelo menos uma tecnologia.
  • Chihuahua possui 246 unidades de produção, campos ou plantações, das quais 97% têm cobertura móvel, com pelo menos uma das tecnologias.
  • Na agricultura protegida, os municípios com maior área plantada no estado de Veracruz são: o município de Emiliano Zapata, Tomatlán e Ixhuatlán del Café, que possuem 100% de cobertura nas tecnologias 3G e 4G.
  • Em relação à agricultura sazonal, que é a que está sujeita às mudanças climáticas, por ser produzida em condições ambientais convencionais, em 15 dos 32 estados, mais de 90% das áreas de produção possuem cobertura de serviço móvel em pelo menos uma tecnologia.
  • O estado de Guerrero possui 110 mil unidades de produção, campos ou plantações em agricultura temporária, das quais 68% têm cobertura móvel em pelo menos uma tecnologia de acesso.

A incorporação de tecnologias que permitem a digitalização do setor agropecuário é uma importante ferramenta para a melhoria socioeconômica de um país. Uma vez que permitem o avanço na qualidade de vida das pessoas que vivem no meio rural, a partir da redução da exclusão digital. Adicionalmente, contribui para a proteção do meio ambiente e favorece a produção agroalimentar em quantidade e qualidade.

Do ponto de vista do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (SADER), para que um estabelecimento rural tenha sucesso a digitalização é necessária. A incorporação de tecnologia facilita a superação dos desafios apresentados por fatores como a natureza e as mudanças climáticas no setor, tornando-o mais produtivo.

O SADER trabalha na incorporação de tecnologia para melhorar a produção agrícola, o que também possibilita a valorização das áreas trabalhadas e gera maior sustentabilidade no setor. Para isso, desenvolve aplicativos móveis que promovem esse segmento como o “SADER Mercados” e o “AgroOferta”, que geram facilidades na comercialização dos produtores.

É importante que essas iniciativas sejam apoiadas por outras organizações, principalmente aquelas que facilitam o desenvolvimento de serviços de banda larga móvel. Oferecer porções maiores do espectro de rádio para a indústria de serviços móveis deve ser um objetivo das autoridades mexicanas, além de gerar condições que estimulem o desenvolvimento de novas infraestruturas, como políticas de redução de entraves burocráticos à implantação de novas redes de telecomunicações.