As redes 5G serão um fator chave para o desenvolvimento e crescimento da Internet das Coisas e elemento essencial para a transformação digital da economia Medidas para facilitar a implantação da infraestrutura de telecomunicações teriam resultados positivos para o mercado.

– Com a chegada das redes 5G, a digitalização da economia será possível, aumentando a eficiência de todos os setores produtivos. É por este motivo que os governos devem tomar medidas para facilitar e acelerar a implementação destas redes, com o principal objetivo de viabilizar o crescimento da Internet das Coisas, e garantir a capacidade de conectar um milhão de dispositivos por quilometro quadrado.

As células pequenas sem fio (“small cells”) são elementos chaves para as redes 5G, especialmente por que permitem usar bandas de espectro médias e altas com o objetivo de melhorar a cobertura e realizar o potencial desta nova geração de tecnologia celular oferecendo, por exemplo, velocidades mais altas para transmissão de dados e menor latência.

“É importante facilitar a implementação da infraestrutura de telecomunicações usando pequenas células sem fio, por que isso terá um impacto positivo sobre a transformação digital de Porto Rico, acelerando a chegada de novas tecnologias. Isso também produz vários benefícios, desde maior eficiência em todos os setores produtivos da economia até mais capacidade de combater desastres naturais. As tecnologias 5G oferecem a população mais acesso a serviços de banda larga de alta velocidade, um fator que a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) identificou como elemento chave para o desenvolvimento econômico e social de um país. Além disso, é importante lembrar que, de acordo com o Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres, “é essencial ter acesso a dados confiáveis em tempo real durante um desastre natural para coordenar a ajuda e como primeira passo para retornar à normalidade”, disse José F. Otero, Diretor da 5G Americas para a América Latina e o Caribe.

A 5G Americas também observou que, de acordo com pesquisas da Universidade de Alcalá, “o acesso à informação é essencial em todas as fases de uma emergência. No caso de grandes catástrofes, o acesso à informação é tão importante quanto a disponibilidade de água potável, alimentos ou abrigo, e é crucial para salvar vidas”.

As células pequenas sem fio são pequenos equipamentos de transmissão de vários tamanhos que podem ser instalados em ambientes internos e externos para servir diferentes propósitos: desde pico-células para absorver tráfego em áreas congestionadas – como estádios, aeroportos e áreas comerciais – ou femto-células para servir blocos residenciais ou quarteirões de uma cidade.

A 5G Americas observa que as operadoras tradicionalmente ampliam a capacidade de suas redes construindo novas estações de telecomunicações, geralmente torres, ou alugando telhados para instalar sistemas de antenas. No entanto, o volume de tráfego e o número de dispositivos conectados estão crescendo, o que exige uma nova abordagem e as pequenas instalações sem fio representam o próximo passo para chegar às redes mais densas.

As redes 5G prometem uma população mais conectada e serviços inovadores, tudo dentro do conceito de cidades inteligentes e indústria conectada. Esta visão exige uma arquitetura de redes heterogêneas (“HetNet”), que inclui as pequenas instalações sem fio. Com a chegada de cidades e indústrias “sempre conectadas”, o volume de tráfego móvel também está aumentando.

A visão da cidade, indústria e/ou ilha inteligente deve servir como impulso para as autoridades locais, que precisam adotar as melhores práticas para autorizar a implementação da infraestrutura de telecomunicações, especialmente as pequenas instalações sem fio, que podem ser usadas para criar redes mais robustas e duráveis em Porto Rico e realizar os benefícios das redes 5G e as plataformas digitais.

Nota aos editores: Os relatórios a seguir, publicados pela 5G Americas, podem ser consultados para obter mais informações a respeito dos temas abordados neste comunicado de imprensa:

 

LTE para 5G: Inovação Celular e Banda Larga. 5G Americas e Rysavy Research. Agosto de 2017. http://www.5gamericas.org/files/8615/0905/4808/2017_5G_Americas_Rysavy_LTE_5G_Innovation__Final_for_Upload_v2.pdf

Pequenas células host neutros e multioperadora. Incentivos, arquiteturas, planejamento e regulamentação. 5G Americas e o Small Cell Forum. Dezembro de 2016. http://www.5gamericas.org/files/4914/8193/1104/SCF191_Multi-operator_neutral_host_small_cells.pdf

Desafios e recomendações para a localização de células pequenas. 5G Americas e o Small Cell Forum. Agosto de 2018.  http://www.5gamericas.org/files/2615/3737/0889/Small_Cell_Siting_Challenges__Recommendations_Whitepaper_final.pdf

Localização de células pequenas: aspectos regulatórios e de localizalção. 5G Americas e o Small Cell Forum. Fevereiro de 2017. http://www.5gamericas.org/files/9714/9253/4528/SCF-190-Small-Cell-Siting-04.2017.pdf

As TIC durante desastres naturais na América Latina e no Caribe. Novembro de 2017. http://www.5gamericas.org/files/7515/1076/8432/TIC_en_Desastre_Naturales_en_Amrica_Latina.pdf