IoT se apresenta como um potencializador socioeconômico do Brasil

Especial Futurecom 2017 – A chegada da 5G faz parte de um ecossistema destinado a potencializar diferentes aspectos da tecnologia, entre eles, a internet das coisas (IoT), que será sem dúvida um dos mais beneficiados. Em particular porque as velocidades permitirão à nova geração móvel a possibilidade de aumentar o número de dispositivos e artefatos conectados entre sí.

De acordo com o Banco Nacional de Desenvolvimento do Brasil (BNDES), a IoT permitirá entrantes por US$ 200 bilhões ao ano a partir de 2025 para os diferentes setores do país. Apoiando também o desenvolvimento de outros setores, no caso da agricultura, por exemplo,  permitirá aumentar em até 49 milhões de toneladas a produção para 2025, enquanto que a indústria desse país poderia melhorar em 40% seus ganhos utilizando IoT para controlar seu estoque e temas de logística.

O anúncio foi feito em São Paulo durante o Futurecom 2017 o principal evento de TIC do Brasil. Do encontro também participou a 5G Americas, por meio da 4ª. Edição do Wireless Technology Summit, workshop do qual participaram palestrantes e panelistas especialistas em telecomunicações de diferentes países das Américas.

O estudo do BNDES mostrou que, no que se refere à saúde, a IoT terá capacidade de reduzir em 20% os acidentes da indústria, se considerarem os números atuais. Além de reduzir em 30% doenças crônicas como diabetes, problemas cardíacos e respiratórios. Também reduziria os custos de manutenção dos equipamentos médicos em 40%, com base em seu monitoramento.

Para alcançar estas metas, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Informação, Inovação e Comunicação (MCTIC) desenvolveu um Plano Nacional de IoT. Esta estratégia de alcance nacional terá três grandes eixos: aumento da produtividade econômica, densificação da cadeia produtiva e melhora na qualidade de vida da população. Este plano contará com o apoio do BNDES que financiará projetos de startups e empresas que busquem expandir usando IoT.

O plano será considerado sobre quatro segmentos que IoT busca gerar impacto no futuro: Agricultura, Saúde, Cidades Inteligentes e indústria. Entre as ações realizadas no plano, encontram-se 26 destinadas ao fomento da inovação e inserção internacional, 21 para ampliação de infraestrutura, 12 para formação de capital humano, e outras 12 para melhora de ambiente de negócios e aspecto regulatório e de segurança de dados. Estas estarão conduzidas pela Secretaria de Política da Informática.

Por sua vez, existe certo acordo entre a indústria e as autoridades para não gerar regulamentos que afetem as ações de IoT. Existe um consenso na indústria de que a regulamentação não é necessária, e consideramos que a auto-regulamentação do setor é a maneira mais eficiente de desenvolver novas empresas.

Entretanto, a postura da Anatel é considerada introdutória para regular este ecossistema, principalmente porque poderia afetar a inovação e geração de novas soluções. Em coincidência do MCTIC, considera-se que as barreiras menores são implementadas, mais fácil será o desenvolvimento comercial da IoT.

Neste sentido, tanto a autoridade política como a reguladora consideram a importância de promover a expansão da infraestrutura de rede. Ou ainda, a possibilidade de incentivar o desenvolvimento de redes de banda larga é considerada pelas autoridades como uma medida fundamental para potencializar o desenvolvimento de IoT no país.

Neste sentido, as redes de banda larga móvel, em particular uma vez que se desenvolva a 5G, se transformam em uma oportunidade revolucionária para potencializar o crescimento de IoT. A possibilidade de conectar diferentes dispositivos, equipamentos e sensores à distância, utilizando meios sem fio que enviem dados em tempo real será uma opção fundamental para avançar em diferentes setores da economia como agricultura e indústria. Assim como também para melhorar as condições de vida dos habitantes por meio das cidades digitais e os serviços de saúde.

Para isto, é fundamental que se amplie as iniciativas governamentais que busquem aumentar os serviços de banda larga móvel. Principalmente aquelas relacionadas com a disponibilidade de espectro radioelétrico para a indústria, também como a geração de uma agenda de entrega de espectro radioelétrico que permita ao setor planejar com tempo a construção das redes da nova tecnologia.

Dentro das estratégias para a estimulação de redes de telecomunicações que planejam as autoridades do Brasil, também deveriam considerar a redução de carga imposta sobre os componentes necessárias para o desenvolvimento de infraestrutura. Este tipo de medidas tende a incentivar o desenvolvimento de novas tecnologias, permitindo o desenvolvimento de um ecossistema digital que potencializa a adoção de IoT no mercado.

As opções de IoT para potencializar diferentes segmentos da economia e da sociedade no Brasil são amplas, muito mais a partir de estarem apoiadas no diálogo dos setores públicos e privados. No entanto, é fundamental que avancem nas iniciativas que tendem a aumentar a infraestrutura dos serviços de banda larga móvel, em particular 4G e 5G, o que melhorar ainda mais as oportunidades do país.

0 comments on “IoT se apresenta como um potencializador socioeconômico do Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.