Internet móvel continua crescendo no Peru

Até o final de 2022, o total de linhas móveis com acesso à internet aumentou cerca de 9% e atingiu o número de 29 milhões, marcando uma penetração de 87% na população nacional.

O tráfego móvel também está em ascensão, com uma média de 10 GB de download por mês por conexão, em comparação com a média de 9 GB em 2021. 

São Paulo, 20 de setembro de 2023 – O número de acessos móveis no mercado peruano continua crescendo, de acordo com um infográfico da 5G Americas elaborado com dados da empresa DN Consultores. De acordo com a pesquisa, até o final de 2022 havia 29 milhões de linhas móveis com internet no Peru, representando uma penetração de 87% na população total do país.

Caracteriza-se, assim, um acréscimo de 2,4 milhões de linhas (um aumento de cerca de 9%) e um crescimento de sete pontos percentuais na penetração em relação à população total, quando comparado ao ano anterior. Dessa forma, o Peru ocupa o quarto lugar em penetração móvel na América do Sul, atrás do Chile (115%), Brasil (103%) e Uruguai (102%), e acima da média regional (83%).

Em relação às tecnologias, há um predomínio marcante da 4G, com 26 milhões de linhas, em comparação com apenas 2 milhões de linhas 3G e um milhão de linhas 2G. O número de linhas 3G vem reduzindo e está no rumo ao desuso, graças à substituição pela 4G, e também há um avanço significativo nas linhas móveis sem internet, que diminuíram de 17 milhões em 2021 para 13 milhões em 2022.

No entanto, ainda existe um grande número de linhas não 4G (cerca de 16 milhões), o que destaca a necessidade de continuar os esforços para que haja a renovação tecnológica.

Consumo de dados

Ao analisar o tráfego de dados da internet móvel no Peru, pode-se observar um aumento em relação aos anos anteriores. Desde 2019, o consumo triplicou, passando de 102 para 307 petabytes (PB) mensais em 2022.

No que diz respeito ao tráfego móvel médio por conexão, ele passou de 4 gigabytes (GB) por mês em 2019 para 10 GB por mês em 2022, um crescimento um pouco menor do que o do tráfego total. Isso se explica, por um lado, devido ao maior consumo médio por linhas, mas também pelo aumento de linhas móveis com internet que aumentaram a demanda total de tráfego. [DOWNLOAD]