A incorporação das tecnologias de informação e comunicação (TICs) pelo setor de saúde envolver vários fatores, desde a inclusão de planos nacionais até o desenvolvimento de aplicativos móveis. Para analisar os avanços nessa área, devemos realizar avaliações periódicas de sua abrangência.

Nesse sentido, entre os Principais resultados do Sistema Nacional de Saúde em 2017, a Cuba destacou a capacitação em tecnologia avançada e a inovação tecnológica do setor. A capacitação é importante do ponto de vista da educação profissional sobre novas tecnologias, aprimorando na qualidade do atendimento no país, que seria equivalente à introdução de novas tecnologias.

De acordo com o Ministério da Saúde Pública, foram realizados 137 programas de capacitação em 18 países, com a participação de 155 profissionais de 29 áreas, relacionados a 19 linhas de desenvolvimento. Em Cuba, 22 programas de capacitação foram realizados em 2017, formando um total de 1.112 profissionais. Esses médicos foram treinados em 22 áreas, com destaque para: Cirurgia Geral, Urologia, Obstetrícia e Ginecologia, Ortopedia e Traumatologia, Cardiologia, Neonatologia, Neurocirurgia e Neurologia.

Entre 2015 e 2017, 2.069 profissionais participaram dos programas. Desse total, aproximadamente 517 foram treinados em outros países, e o restante receberam seus cursos em Cuba, com cursos ministrados por professores estrangeiros. Esses treinamentos permitiram a introdução de 33 técnicas que beneficiaram mais de 1.780 pacientes.

A capacitação dos médicos envolvidos serviu como base para a adoção de técnicas como a Endoprótese para pacientes amputados, a introdução de tecnologias avançadas de imagem, spet-ct, pet-ct e de Ressonância Magnética Nuclear, da cirurgia de base cranial, o tratamento cirúrgico de epilepsias, técnicas de neurorradiologia intervencionista, tratamentos de arritmias cardíacas e radioterapia intraoperatória, entre outros.

Em relação à inovação e às TIC, o ministério destacou a implementação da estratégia de desenvolver ensaios clínicos, saindo de 103 em 2016 para 158 hoje, e 84 novas clínicas. Também foram realizados 20.500 projetos de pesquisa e 30.294 serviços científicos tecnológicos voltados para a saúde da população.

Por outro lado, a implementação da Estratégia de Gestão da Qualidade do Sistema Único de Saúde foi a plataforma para a criação de 36 unidades da Assistência Médica Internacional, e, além disso várias instituições de saúde passaram pelo processo de credenciamento hospitalar: o Hospital Clínico Cirúrgico Hermanos Ameijeiras, o Instituto Nacional de Oncologia e Radiobiologia e o Centro Nacional de Cirurgia, Clínicas Internacionais Cira Garcia e Camilo Cienfuegos, que culminaram no processo de auto avaliação de 32 hospitais buscando credenciamento para 2018.

As iniciativas cubanas de capacitação para profissionais de saúde, e o aprimoramento de pesquisas científicas e tecnológicas, estão se transformando em grandes oportunidades para o setor. No entanto, o país também precisa de outras alternativas que combinam a tecnologia e saúde, especialmente para a aumentar a interação com a população.

É importante estimular o desenvolvimento de aplicativos locais com o objetivo de aumentar os benefícios para a população local. Os aplicativos são muito importantes para a prevenção, e podem ser muito úteis para o tratamento e controle de doenças crônicas.

Por outro lado, o setor da saúde deve usar as TIC para acelerar as várias iniciativas de modernização da assistência médica. Precisamos de políticas que aumentam a conectividade no mercado e promovem a competitividade a fim de ampliar o número de pessoas que tem acesso à banda larga sem fio.

O setor também precisa de mais espectro de rádio seja para os serviços de banda larga sem fio, e ampliar a conectividade. Tecnologias como a LTE representam uma oportunidade para aumentar a conectividade e desenvolver as iniciativas associadas à banda larga sem fio.

Cuba já tem um projeto para incorporar as TICs no setor da saúde. No entanto, é importante melhorar a conectividade e explorar novas oportunidades para melhorar as condições de vida a população.