Honduras apela para as TIC para manter a continuidade pedagógica em emergência da COVID-19

A pandemia de COVID-19 obrigou as autoridades dos países a se adaptarem a uma grande quantia de atividades produtivas e sociais. Parte deste trabalho foi uma busca para manter o sistema educacional ativo em meio às medidas de distanciamento social, no qual as Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) desempenham um papel importante.

Neste sentido, as autoridades da Secretaria de Educação de Honduras recorreram às TIC para manter a continuidade pedagógica no sistema educacional. Para isto, recorreu a um plano que tem como principal fonte de transmissão o sinal do Canal Hondurenho Telebásica, pertencente à Corporação Suyapa Medios.

A estratégica educativa planeja priorizar conteúdos e as áreas de conhecimento para cobrir os temas de maior peso no Currículo Básico Nacional (CBN). O sinal cobre os três níveis educativos: Prebásico, Básico e Médio. Além disso, para o Prebásico as aulas são disponibilizadas pelo canal do Youtube da Telebásica e o link é enviado aos alunos por WhatsApp para serem acessados em qualquer momento. A modalidade de ensino com o uso das TIC acontecerá enquanto durar o estado de emergência.

Desta forma, a estratégia desenhada pelas autoridades hondurenhas tem a TV como meio principal de acesso. Esta iniciativa tem um ponto positivo baseado na massividade do dispositivo, que permite alcançar uma maior quantidade de alunos. No entanto, carece da possibilidade de feedback e correção, o que se torna um contra muito importante para o processo de aprendizagem.

É importante neste sentido que se busquem outras alternativas como as desenvolvidas em outros mercados da América Latina. Como pode ser a existência de experiências que combinem o acesso por TV e também o acesso a uma plataforma no qual alunos e docentes possam interagir. Isto permite uma correlação e contenção dos alunos em um momento muito complexo.

No entanto, para colocar este tipo de plataforma em ação, devem existir esforços para aumentar o acesso à banda larga no mercado. A banda larga móvel se apresenta como uma oportunidade importante, já que por suas características pode chegar a uma maior porção da população de forma mais econômica. Assim, possibilita alcançar maiores coberturas podendo atender populações rurais e distantes dos grandes centros urbanos.

Neste sentido, tecnologias como a LTE e a 5G possibilitam o acesso de alta velocidade e robusto que alunos e docentes precisam para realizar tanto suas tarefas em plataformas, como para incluir serviços de teleconferência ou vídeo-chamadas. Contudo, iniciativas deste tipo requerem que exista uma política eficiente de desenvolvimento de banda larga móvel.

Neste sentido, é importante a geração de estratégias governamentais que busquem aumentar a oferta de espectro radioelétrico para serviços de banda larga móvel. Assim como a geração de uma agenda de futuras licitações de espectro que garantam a indústria confiança para planejar os próximos planos de instalação de redes.

Por sua vez, do ponto de vista do usuário, é necessário que existam políticas que tendem a reduzir a carga imposta existente para dispositivos de acesso. Desta forma, tornando-os mais acessíveis e permitindo seu uso por uma maior parcela da população, aumentando a quantidade de alunos que têm acesso às plataformas educativas.

A iniciativa da continuidade educativa em Honduras é positiva, contudo, deveria contar com plataformas que permitam a retroalimentação para os alunos e docentes. Para alcançar alternativas educativas como esta, faz-se necessário o incentivo ao acesso à banda larga móvel no mercado.