Guiana avança na implementação do governo eletrônico

Entre as diferentes atividades das quais as Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) melhoram a qualidade de vida dos cidadãos, encontra-se a implementação do Governo Eletrônico. Este tipo de iniciativa facilita a realização de tramites até a comunicação com as autoridades ou da administração dos recursos do Estado.

Com a intenção de alcançar estes objetivos, o governo da Guiana anunciou que a Agência de Governo Eletrônico (e-Government Agency) passará a se reportar para a Autoridade Nacional de Gestão de Dados (ou Nacional Data Management Authority – NDMA). Ambas as áreas trabalham na implementação do E-Governo desde 2015, e ao final de 2016 consolidaram-se em uma só estrutura.

Dessa forma, busca-se alcançar uma maior eficácia rumo a uma estratégia de e-Governo, assim ambos os órgãos trabalham em um só sistema administrativo. O grupo de ambas as dependências também têm como objetivo criar uma entidade mais receptiva e eficiente, que tenha a capacidade de atender a necessidade do setor público. Assim, trabalhar para melhorar a relação com a população por meio da instrumentação das TIC.

A nova organização da Agência de e-Governo se reportará para a NDMA, cuja criação data de 1983. Entre suas funções, é responsável pelo desenvolvimento de sistemas de informática do setor público para satisfazer suas necessidades de informação. Também deve desenvolver programas de capacitação para os funcionários públicos, podendo garantir assim que os trabalhadores estatais possam utilizar novas tecnologias.

Desse modo é o departamento encarregado de autorizar a aquisição de hardware e software para o setor público. Também deve pregar pela utilização e pelo desenvolvimento dos recursos de informática. Outro dos pontos que deve atender é estabelecer diretrizes para a contratação de materiais e profissionais TIC.

Em suas novas funções, a NDMA deverá proporcionar apoio aos diferentes ministérios que confirmam o governo da Guiana para avançar na configuração de e-Governo. A medida busca aproveitar a experiencia prévia desta área em relação às TIC para potencializar a implementação deste novo conceito de governo.

A NDMA já conta com experiencia na capacitação de profissionais públicos, em sua nova função buscará replicar esses cursos para melhorar as habilidades de pessoal no que se refere a processamento e entrada de dados, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. O órgão já conta com experiencia em entretenimento na implementação do processo de dados, anteriormente auxiliou na implementação do Sistema Nacional de Seguros e na Universidade de Guiana.

Antes de ficar abaixo da NDMA, a Agência de Governo Eletrônico completou vários projetos relacionados com as TIC, incluindo a instalação de uma rede de governo eletrônico. Além de prover acesso à Internet e à conectividade de rede para escolas e instituições técnicas e profissionais através do programa IDEAL, a distribuição de computadores portáteis aos docentes do país e estabelecimentos de 51 centros comunitários TIC que permitem às comunidades periféricas acesso gratuito à Internet de alta velocidade.

Com a implementação do e-Governo a Guiana é somada a uma lista de países na América Latina e Caribe que contam com este tipo de desenvolvimento. A implementação da iniciativa modifica a abordagem dos cidadãos aos Estados, melhorando a acessibilidade em diferentes situações que vão desde trâmites até a promulgação de normas.

Por outro lado, o e-Governo é uma iniciativa que funciona em termos de busca de transparência. A possibilidade de conhecer as atividade e resultados realizados pelas administrações de uma maneira simples e acessível para todos os usuários é uma vantagem significativa no momento de gerar confiança para os cidadãos.

Assim, os mesmos dados fornecidos pelo Governo podem ser reutilizados pela população na criação de aplicativos úteis. A apropriação de dados gerados pelas autoridades por parte dos cidadãos funciona em muitos níveis, gerando não somente facilidades na vida dos habitantes, mas também a oportunidade de uma indústria de aplicativos que resulta em mais empregos e riquezas para o país.

No entanto, para que este tipo de iniciativas tenha resultados positivos é importante que a maioria da população possa ter conectividade. Ou seja, este tipo de políticas deve ir acompanhada por um desenvolvimento de serviços de banda larga que garanta o acesso para a população. Neste sentido, os serviços móveis sem fio contam com a possibilidade de oferecer acesso de maneira rápida.

Considerando o que foi exposto, é necessário que se criem condições para o desenvolvimento de tecnologias de acesso sem fio, em particular para a disponibilidade de espectro radioelétrico para serviços de banda larga móvel, o que potencializa a implementação de redes LTE. Da mesma forma, a redução das travas burocráticas para redes de telecomunicações potencializa o desenvolvimento das mesmas.

A iniciativa de e-Governo da Guiana transforma-se em um avanço em termos de transparência e aproximação dos cidadãos com as autoridades. No entanto, é necessário que exista um trabalho conjunto com a área de conectividade e telecomunicações para potencializar o acesso da população à internet de banda larga e ter sucesso neste tipo de desenvolvimento.

0 comments on “Guiana avança na implementação do governo eletrônico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.