Granada avança no uso das TIC para desenvolver a agricultura

A digitalização das economias da América Latina e do Caribe requer incentivos das autoridades governamentais para que os mais diversos setores possam competir no novo cenário produtivo. A agricultura é uma dessas verticais em que a incorporação das tecnologias da informação e comunicação (TIC) permite avanços produtivos consideráveis.

Nesse sentido, o Ministério da Agricultura e Terras, Pescas e Cooperativas de Granada, em associação com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), lançou dois projetos que buscam promover a agricultura digital e sistemas agroalimentares resilientes nesse país. Com esse mesmo intuito, foram implantadas a Rede Global de Centros de Inovação em Agricultura Digital (DAIH) e a E-agricultura Regional para o Caribe.

Estes projetos visam apoiar as iniciativas em curso implementadas pelo Ministério da Agricultura e Terras, Pescas e Cooperativas com o apoio técnico da FAO. Além disso, buscam garantir que haja um ambiente propício para a adoção de estratégias de agricultura digital em nível nacional.

Da mesma forma, almeja-se estabelecer um centro nacional de inovação agrícola digital e um programa para acelerar o desenvolvimento e a adoção de inovações digitais que apoiem os agricultores e outros atores da cadeia de valor. O foco desta iniciativa será especialmente atingir jovens e mulheres, tornando-os mais competitivos no mercado de trabalho. Ambos os projetos usarão a inovação como ferramenta para promover parcerias público-privadas.

Assim, a iniciativa DAIH também ajudará o Ministério a estabelecer uma estratégia de transformação digital. Numa primeira fase, as autoridades procuraram intervir para reduzir as brechas existentes no próprio setor agrícola. Para alcançar este objetivo, um centro de inovação será criado para estabelecer diferentes conexões dentro do setor agrícola, como estabelecer vínculos entre agricultores e extensionistas. Isso poderá ser feito através da aplicação do marketing ou um portal de registro de agricultores que fortaleceria os serviços oferecidos pelo Ministério.

A REA almeja estabelecer no Ministério da Agricultura de Granada uma equipe de mapeamento de drones e Sistema de Informação Geográfica (GIS). Esta situação permitirá ao Ministério melhorar os métodos de colheita agrícola, o que também irá melhorar o planejamento para, enfim, promover o desenvolvimento do setor.  O resultado será a emissão eficiente de respostas às demandas das comunidades agrícolas afetadas por problemas de irrigação ou inundações.

O Ministério considera que o setor agrícola enfrenta desafios como o de aumentar a qualidade dos produtos, os elevados preços dos insumos, garantir a melhoria do acesso à informação sobre boas práticas de mercado para a tomada de decisões informadas e uma elevada incidência de furto comercial. A partir da digitalização nos sistemas agroalimentares, será possível oferecer oportunidades e dotar o setor de ferramentas para melhorar a segurança alimentar e ajudar as pessoas a serem mais resistentes aos impactos das mudanças climáticas.

De qualquer forma, para que o setor agrícola melhore sua digitalização, é necessário que as autoridades de Granada trabalhem para aumentar o desenvolvimento dos serviços de banda larga móvel. Particularmente através da 5G, que associada às tecnologias como a Internet das Coisas ou Big Data, permitem o crescimento da digitalização do setor.

Para atingir esses objetivos, é necessário que as autoridades disponibilizem porções maiores do espectro radioelétrico para a indústria de serviços móveis. Bem como a geração de uma agenda com futuros leilões de espectro que possibilitem o planejamento com eficiência da implantação de redes. Com o mesmo objetivo, é preciso reduzir os entraves burocráticos que dificultam essas implantações. Por fim, é importante que as demandas do Estado se reúnam em um único padrão e que seja desenvolvido o conceito de janela única de trâmites para facilitar o desenvolvimento da infraestrutura.

A iniciativa das autoridades de Granada é, portanto, um passo adiante na incorporação de tecnologia na agricultura no mercado do país. No entanto, essas ações têm que estar acompanhadas de outras que permitam às operadoras melhorar o acesso à banda larga móvel.