Força de trabalho da Jamaica visa o desenvolvimento sustentável através das TIC

A automação, digitalização e capacitação da força de trabalho transformam os habitantes de uma cidade. A oportunidade de aproveitar as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) para aprimorar o funcionamento das cidades é um esforço liderado por diversos governos na América Latina e no Caribe.

Nesse sentido, o governo da Jamaica está priorizando a melhoria das habilidades da força de trabalho como parte da estratégia geral para impulsionar o crescimento econômico. Implementando projetos de desenvolvimento significativos, investindo em capacitação e fornecendo as habilidades necessárias para utilizar novas tecnologias a fim de apoiar o desenvolvimento sustentável do país.

Existe um elemento significativo de investimento no desenvolvimento dos recursos humanos, porque novas indústrias e empresas entrarão na economia digital, que por sua vez servirá de plataforma para o desenvolvimento sustentável do país. É evidente que dependerão claramente da melhoria das competências da mão-de-obra. Portanto, o tempo e o esforço dedicados a este assunto garantirão a cobertura dos empregos do futuro.

Os setores-chave nos quais serão feitos investimentos para atingir esse objetivo são: Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM), logística e terceirização de processos comerciais (BPO). Devido à sua localização geográfica, a Jamaica é fundamental para a maioria das rotas marítimas da região, tornando a logística uma indústria natural e constante na economia. Essa área também será alvo de investimentos em tecnologia.

O objetivo do governo da Jamaica, sem dúvida, é transformar o país em uma economia baseada em tecnologias digitais, o que, por sua vez, contribuirá para a redução da lacuna digital, o desenvolvimento da Sociedade da Informação e do Conhecimento, o Governo Digital, a eficiência da administração pública e a adoção digital nos setores sociais e econômicos.

Esse projeto deve ser apoiado por uma série de estratégias de conectividade em nível nacional. Proporcionar acesso à banda larga à população, mesmo em áreas remotas, é necessário para que o trabalho de digitalização do governo faça sentido e seja aproveitado pelos habitantes e empresas. Nesse sentido, a banda larga móvel se apresenta como uma alternativa de implementação mais rápida e com maior capacidade de atender à população.

Tecnologias como LTE e 5G surgem como redes robustas com a possibilidade de proporcionar acesso a uma grande parte da população, cobrindo uma parte significativa do território. Elas também permitem a conectividade de uma grande quantidade de dispositivos para aprimorar a qualidade do tráfego de dados, a coleta de resíduos e outros serviços públicos.

Para impulsionar o desenvolvimento dessas tecnologias, é necessário disponibilizar à indústria de telecomunicações maiores faixas de espectro radioelétrico para serviços de banda larga móvel. Além disso, é preciso reduzir as barreiras para a implementação de redes e a obtenção de equipamentos tecnológicos. Medidas desse tipo são fundamentais para alcançar uma maior disseminação dessas tecnologias, proporcionar mais igualdade no acesso às TIC e contribuir para o aumento do acesso à educação, saúde, trabalho, cultura e muito mais.

Para completar todo esse percurso, é importante criar uma agenda com futuros leilões de espectro que permita aos operadores planejar melhor seus investimentos em um período determinado, que seja claro e contínuo para sua execução.