Espectro radioelétrico imprescindível para o avanço das TIC no desenvolvimento social

Cobertura Especial Mobile 360 Latin America 2018 – O futuro da indústria das telecomunicações seguramente passará pela quinta geração celular (5G), pela implementação da Internet das Coisas (IoT), e por um maior aproveitamento de Big Data e Inteligência Artificial (IA). Estes avanços permitirão novas opções para o uso da tecnologia para melhorar o desenvolvimento socioeconômico dos países, assim como também a qualidade de vida dos cidadãos. Neste sentido, o espectro radioelétrico faz um papel fundamental para levar conectividade para a população.

Estes foram os principais temas de discussão sobre o uso das Tecnologias da informação e da Comunicação (TIC) para o desenvolvimento durante o evento “Mobile 360 Latin America 2018” que foi realizado em Buenos Aires, Argentina. O encontro contou com a participação de Andrés Ibarra, vice chefe do gabinete do Ministério de Modernização da Argentina, que destacou os trabalhos de conectividade que se realizaram, em particular com redes 4G com as quais espera chegar a todas as localidades com 1.500 habitantes. Reforçou, também que os esforços em conectividade permitiram experiências de Telemedicina em diferentes ambientes rurais do país, reduzindo em 50% a quantidade de gente dessas áreas que viajavam até os principais hospitais das capitais.

Outra autoridade do governo argentino, Hector Huici, Secretário das Tecnologias da Informação e das Comunicações, destacou que é necessária ter uma visão estratégica enquanto país. Para isto, é importante que o setor privado trabalhe em melhorar o ambiente da indústria, enquanto que o setor público deve centrar-se em facilitar o espectro radioelétrico e reduzir as travas no desenvolvimento de infraestrutura.

Durante o debate entre os CEOs das operadoras, que foi moderado por Sebastian Cabello, diretor da GSMA para a América Latina, houve consenso sobre a necessidade de mais espectro para o desenvolvimento da 5G. Houve visões diferentes sobre como os mercados da região estavam bem preparados para dar o salto tecnológico e a eventual massificação da IoT nos mercados, especialmente do ponto de vista da capacidade das redes de telecomunicações e infraestrutura.

Participaram do debate Carlos Moltini, da Telecom Argentina; Julio Carlos Porras, da Claro da Argentina, Paraguai e Uruguai;  Juan Pablo Calvo, Nuevatel Bolivia; e Jaime Palermo, da ICE da Costa Rica.

Durante o debate de “Redes Móveis Desenvolvimento da IoT e Impacto Social”, Stefano Nicoletti, Diretor, Política de Tecnologia, Assuntos Regulatórios e Governamentais da GSMA – destacou uma série de recomendações das quais tinha a necessidade de verificar o impacto de sua implementação e a estratégia de longo prazo, priorizar setores chaves a serem desenvolvidos, a independência dos serviços por fora da tecnologia e a colaboração público privada no momento da implementação. Tanto que Marcelo Bertolami, gerente geral das Américas Territory da Intel, explicou que será por meio da 5G que as diversas aplicações de IoT permitirão o desenvolvimento de uma nova revolução industrial, que terá um grande impacto melhorando as condições produtivas e sociais.

O segundo dia do evento começou com o painel “A transformação Digital na América Latina”, moderado por Sonia Agnese da Ovum. Ali participou Wilson Cardoso, Latin America Chief Solution Officer da Nokia, que destacou que a produtividade é o ponto chave da transformação digital, onde a 5G é necessária, já que oferece maior capacidade de conectividade na nuvem, além de poder conectar qualquer dispositivo e ampliar a produtividade dos diferentes setores. Tanto que Cristina Martinez, Sócia, Novas Tecnologias para Inovação Pública do C. Minds, reforçou que para que um mercado consiga uma experiencia interessante no desenvolvimento da IoT é importante que as autoridades escutem o setor privado e especialistas neste tipo de implementações.

Outro dos temas que dominou o evento foi a Inteligência Artificial. A este respeito Ezequiel Glinsky, Diretor de Inovação da Microsoft, e Jeronimo Martinez Capins, Buciness Development Executive da IBM Latin America concordaram que a educação da população e a ética sobre o seu uso são os desafios mais importantes enfrentados pela IA. O gerente de Big Data Analytics da Telefónica, Alejandro Salevsky, também concordou com essa avaliação, ressaltando que a educação é necessária para gerar conscientização do público desde que a tecnologia esteja funcionando. Os três representantes da indústria entraram em consenso de que a tecnologia tem um grande potencial para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e a produtividade de diferentes setores verticais.

O desenvolvimento da 5G, as opções que apresentam a IoT e a IA para o futuro, foram os principais temas de debate da indústria em Buenos Aires. Houve um consenso geral da importância destas tecnologias para potencializar a indústria e sua aplicação para melhorar a qualidade de vida dos habitantes da região. No entanto também destacou-se a necessidade de que os Estados colaborem fornecendo maior espectro radioelétrico e melhorando as condições de desenvolvimento de infraestrutura para que estes desenvolvimentos possam ter sucesso.

0 comments on “Espectro radioelétrico imprescindível para o avanço das TIC no desenvolvimento social

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.