Desenvolvem no Brasil App para o registro de peixes no Amazonas

A inclusão de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) envolvem grande parte do setor produtivo. Distintas partes da economia de um país dia a dia incorporam tecnologias de acesso para melhorar as condições de produtividade, desde sistemas complexos, até iniciativas simples que permitem o desenvolvimento de um segmento especifico.

Entre os diferentes setores da economia que se beneficiam das TIC está a pesca. No Brasil o Instituto Mamiruá apoiou o desenvolvimento do Ictio, um app que compila informação de 20 espécies consideradas relevantes para os pescados locais. A aplicação oferece informação desta atividade nas regiões de Médio e Alto Solimões, no Amazonas, e está disponível somente para sistemas Android.

As diferentes variedades de peixes foram eleitas a partir da importância econômica e pelo tipo de migração que realizam. Neste sentido, cada um dos pescadores que possuem o app podem ir aportando informação que é importante para seus colegas, permitindo assim a criação de uma comunidade afim no setor.

Da criação do app também participou o projeto de Ciências Cidade para Amazonas, do qual Mamirúa é sócio. A iniciativa também inclui a formação dos pescadores na nova ferramenta, para isto conta com a participação da unidade de pesquisa do Ministério de Ciências, Tecnologias, Inovação e Comunicação (MCTIC). Desta forma, realizaram cursos para capacitar pescadores das cidades de Tefé, Alvarez, Uarini, Fonte Boa, Jutaí, Santo Antônio de Icá e Maraa.

O trabalho de formação no uso do app inclui comunidades, organizações de coletores de peixes até escolas. Em sua primeira etapa focará em presentear para os participantes as funções disponíveis em lctio. Logo será avaliado em conjunto com um grupo de trabalho, e como se trata de uma ferramenta pode melhorar e ser cada vez mais útil no dia a dia dos pescadores.

A comunidade de Puña, que está próxima do município de Uarini, foi a primeira a receber um dos 30 exercícios realizados pela equipe de Mamiraua. Com o app, a quantidade de produto, a área em que ocorreu a pesca e as espécies correspondentes são estabelecidas para cada pescador.

Nas experiências realizadas pela associação de pescadores da Colombia Z-54, ambas do município de Santo Antônio de Icá, houve uma forte participação dos jovens. Em particular porque o uso da ferramenta no celular não é muito comum para os pescadores. No entanto, os dispositivos móveis são utilizados com mais frequência entre o publico jovem, frequentemente filhos dos pescadores, tornando-se também uma oportunidade de diálogo entre pais e filhos, além de ser uma dinâmica de desenvolvimento do projeto.

Desta forma, a iniciativa consta de duas partes fundamentais: a aplicação em si mesma, e os processos formais que são realizados com os pescadores. Este tipo de iniciativa que apoiam o lançamento do app com um trabalho educativo do setor ao qual está orientada, buscam melhorar as oportunidades de sucesso do app e sua melhora contínua.

Além disso, o app propõe um trabalho colaborativo entre os diferentes pescadores incentivando dessa forma a produção do setor. A possibilidade de compartilhar informação sobre os peixes, a quantidade de pesca e os lugares onde se realiza a atividade é de suma importância para todo o setor, o uso correto dessa informação é importante para que exista uma evolução produtiva.

Para que a aplicação tenha sucesso, além destes passos que já funcionam bem, é necessário que se busque aumentar a conectividade da banda larga sem fio junto à população. Tecnologias como a LTE, e no futuro a 5G, permitem altas velocidades e conectividade robusta dos pescadores, melhorando dessa forma a experiencia no uso do app e suas possibilidades de sucesso.

Neste sentido, é necessário que as autoridades coloquem à disposição do setor de telecomunicações maiores porções de espectro radioelétrico, em particular destinado a banda larga móvel. É também importante que se gere uma agenda com futuras licitações de espectro, o que permite planejar futuros investimentos de forma eficiente.

Por sua vez, é também necessário que se flexibilizem as demandas burocráticas que pesam sobre a construção de redes de telecomunicações. A geração de uma lei a nível nacional que aglutine estas exigências, como existem no Brasil, é importante para que as operadoras possam planejar o desenvolvimento de suas redes.

A redução dos impostos é também importante, tanto para os componentes de rede, que reduzem o custo de implementação da rede, como para os dispositivos de acesso, que os tornam mais acessíveis. Este último ponto é necessário para que exista uma maior quantidade de pescadores que podem fazer uso do app.

Como se observa o trabalho realizado no Brasil com o Lctio é de grande importância para o setor pesqueiro. No entanto, este esforço deve ir acompanhado da conectividade no mercado, para que o app tenha um uso eficiente.

0 comments on “Desenvolvem no Brasil App para o registro de peixes no Amazonas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.