Curaçau trabalha para ser uma ilha digital

#CoberturaEspecial #DiálogosTIC5GAmericas – O trabalho dos países da América Latina e do Caribe para se adaptar às demandas da nova economia mundial é constante e exige diferentes estratégias de nível nacional. A busca por uma economia cujo norte seja a digitalização de seus diversos setores, bem como da sociedade, é necessária para fortalecer um país para o futuro.

Giovanni King, COO da Autoridade Reguladora de Curaçau

Pensando nisso, as autoridades de Curaçau estão trabalhando para realizar a digitalização da economia e sociedade por meio do plano “Smart Nation“. O foco deste plano foi abordado na apresentação de Giovanni King, COO da Autoridade Reguladora de Curaçau, durante a última sessão da série ‘Diálogos TIC para Analistas de Telecomunicações’, promovida pela 5G Americas.

Em sua palestra, King comentou que “desde 2018 instituímos a Plataforma Smart Nation por Decreto Nacional. Por meio dela promovemos ações integradas entre diferentes órgãos governamentais”. Ele explicou que os objetivos da plataforma incluem o uso da tecnologia para tomar melhores decisões. Entre outros aspectos, destaca-se a implementação no Gabinete do Primeiro-Ministro, Ministério da Economia, Ministério dos Transportes e Comunicações e Ministério do Governo, Planejamento e Serviços.

O trabalho para realizar o plano Smart Nation está focado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU), especialmente em seis dos dezessete pontos: Saúde e Bem-estar; Qualidade da Educação; Energia acessível e não poluente; Trabalho decente e crescimento econômico; Indústria, Inovação e Infraestrutura; e Cidades e Comunidades Sustentáveis. “Em Curaçau trabalhamos para abordar seis áreas principais: saúde, educação de qualidade, energia limpa, crescimento econômico, inovação e sustentabilidade”, pontuou King.

Ainda de acordo com King, o foco na saúde e bem-estar é muito importante e foi evidenciado durante a pandemia de Covid-19. Da mesma forma, ele destacou o trabalho realizado em diferentes setores relacionados à agricultura para oferecer cursos de irrigação e agricultura orgânica regenerativa. Estes últimos casos contaram com a colaboração do setor acadêmico internacional (a Universidade das Índias Ocidentais Santo Agostinho de Trinidade e Tobago e a Universidade Internacional Maharishi de Iowa).

Em relação à qualidade da educação, King destacou que “educamos mais de 500 pessoas através da educação à distância. Esta e outras ações tiveram um impacto social nunca antes visto”. Ele ressaltou, também, que é muito importante o trabalho que está sendo feito para capacitar a população em termos de digitalização. Também destacou a importância da infraestrutura para o processo de digitalização do setor educacional.

Quanto à energia acessível e não poluente, em sua explicação do plano realizado em Curaçau, King mencionou que a meta é que 50% da energia nacional seja renovável até 2035. Ele também pontuou que mais de 30% da energia do país é proveniente de fontes solares e eólicas.

Por outro lado, em relação ao objetivo de trabalho decente e crescimento econômico, King explicou que “o desenvolvimento da economia digital oferece serviços que estão se fortalecendo na região. No turismo, buscamos nossos diferenciais”. Ele também destacou Curaçau como um hub digital na região e os esforços para capacitar empreendedores na ilha.

Sobre o objetivo ‘Indústria, Inovação e Infraestrutura’, King enfatizou que “estamos investindo nos autônomos porque entendemos que eles precisam estar conectados. A conexão global é um ponto importante para o desenvolvimento econômico”. Ele explicou a importância do produtor de serviços portuários no país, impulsionado pelas refinarias e transportes, bem como pelos seus terminais de contêineres.

Sobre as ‘Cidades e Comunidades Sustentáveis’, King disse que “a digitalização dos órgãos governamentais é nosso maior desafio. Estamos em discussões construtivas para promover essa modernização. É um processo longo”, – mesmo tendo salientado que está sendo feito um trabalho de modernização dos ministérios, das infraestruturas urbanas e transportes públicos.

Para atingir esses objetivos ambiciosos, é muito importante trabalhar em hiperconectividade, banda larga de alta velocidade e fornecimento de energia confiável. Dessa forma, deve-se garantir a solidez na implementação da tecnologia para investimentos necessários no setor que viabilizem o desenvolvimento de uma infraestrutura digital, assim como na preparação de governantes para essas tecnologias.

Ao final da apresentação, King comentou que anualmente é realizada uma conferência para manter a população informada sobre os avanços tecnológicos alcançados para tornar a ilha uma “Nação Inteligente”. A transparência no processo também é um dos pontos importantes pelos quais o plano é realizado, pois faz parte do espírito da digitalização.