Cuba avança em sua digitalização, mas ainda resta um longo caminho a percorrer

Os diversos países da América Latina aumentam dia a dia seus esforços para aumentar a conectividade, melhorando assim as condições de vida da população e as oportunidades de evolução dos diferentes mercados verticais. Neste sentido, as tecnologias sem fio se apresentam como uma oportunidade para aumentar o acesso da banda larga junto à população, potencializando o ingresso desses países às novas tecnologias digitais.

Na busca pelo alcance desses objetivos, o Ministério de Comunicações de Cuba apresentou os avanços na informatização deste país. O objetivo da carteira é implementar uma política baseada em princípios gerais relativos ao desenvolvimento, e modernizar de forma coerente todas as esferas da sociedade.

Assim, o Ministério de Comunicações de Cuba destaca que o país aumentou a cobertura populacional do sinal de telefonia celular, alcançando um total de 1.830 radio bases e sua presença em todos os municípios. Assim, começou com seus primeiros passos de desenvolvimento LTE em Varadero, a área norte de Havana e Mariel. O total dos serviços 3G alcançaram mais de 85% da população da ilha. Então, existem cerca de 5,3 milhões de usuários deste serviço.

No que diz respeito à telefonia fixa, instalaram 38 mil novos serviços mantendo uma quantidade similar de 2017. Por sua vez, sempre de acordo com o Ministério, o mercado contava com mais de cinco milhões de usuários de serviços de internet, e aproximadamente 60% desta cifra acessam os centros de estudo e trabalho, o que garante mais de 34 mil links de conectividade de dados nas entidades. Sendo assim, os serviços de Internet aumentaram a partir da implementação dos serviços móveis.

A conectividade também alcançou os setores de educação, cultura, ciência, saúde e os de maior impacto na economia, com um aumento médio de 5 mil novos links, duplicando em relação aos anos anteriores. Em termos de implementação de governo eletrônico, o Ministério destaca que 95% dos órgãos da Administração Central do Estado e 70% das províncias e do município especial contam com portais web.

Como objetivo desenvolveram também plataformas de informática que habilitam a participação cidadã, a gestão de produtos e de serviços, e a gestão da infraestrutura de equipamentos inteligentes. O Ministério também reforçou para cerca de umas 30 empresas e entidades que seus objetivos sociais têm estabelecido o desenvolvimento de aplicativos e serviços de informática. Tanto que em segurança avançou no desenvolvimento de sistema de gestão hospitalar Galen Clínicas em 73 instituições, o que facilitará a gestão do histórico clínico dos pacientes.

As iniciativas realizadas pelo Ministério de Comunicações de Cuba confirmam um bom começo quando busca ingressar para as novas sociedades digitalizadas. É uma boa notícia que o desenvolvimento de redes 4G seja prioritário, assim como também o desenvolvimento de acessos sem fio. Em particular porque tratam-se de tecnologias que permitem grandes coberturas de forma mais rápida e econômica. No entanto, é necessário que se aumentem os esforços para poder potencializar o crescimento da conectividade no país, assim como também melhorar a conectividade dos diferentes setores que compõem a economia cubana.

Neste sentido, é importante que as autoridades cubanas estimulem a concorrência de serviços de banda larga móvel. Sobre evidencia a nível internacional para saber que naqueles mercados onde existe concorrência existe uma maior evolução tecnologia, como também melhores condições de serviços para os usuários. Em outras palavras, a existência de várias prestadoras de serviços se transforma em uma ferramenta fundamental para avançar para o mundo digital.

Além de uma abertura a concorrência de mercado, existem outras medidas necessárias por parte das autoridades. Em primeiro lugar, a disponibilidade de maior quantidade de espectro radioelétrico para serviços de banda larga móvel, assim como também a geração de uma agenda com futuras licitações de espectro que possibilite às operadoras planejar de forma eficiente o desenvolvimento de uma nova rede.

Outra medida necessária é a redução imposta que pesa sobre os dispositivos de rede e terminais de acesso. No primeiro dos casos, permite um desenvolvimento eficiente das redes de telecomunicações. Enquanto que terminais com menor carga imposta possibilita que sejam mais acessíveis para a população, permitindo que uma maior quantidade de pessoas acesse a tecnologia.

Como pode-se observar, Cuba avança na busca da digitalização, trabalho que se torna necessário para que o país se insira dentro da nova economia digital global. No entanto, é necessário também que este esforço esteja acompanhado por outros que busquem potencializar a banda larga sem fio dentro do mercado, em particular, por meio de tecnologias como a LTE e preparando-se para o caminho até a 5G.

0 comments on “Cuba avança em sua digitalização, mas ainda resta um longo caminho a percorrer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.