Cuba aposta a formação docente no uso das TIC

Entre as diferentes iniciativas realizadas para incorporar o uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação na Educação, a capacitação da equipe docente é fundamental. Esta medida torna-se indispensável para dar o salto qualitativo no setor dentro das diferentes estratégias realizadas pelos estados, como a entrega de dispositivos e a conectividade dos estabelecimentos educativos.

Esta estratégia é aplicada na Oficina de educação midiática e informacional que faz parte da Diretoria de Tecnologia Educacional (DTE) do Ministério da Educação de Cuba (Mined). Estes cursos contam com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e tem o deságio de promover um emprego critico dos conteúdos presentes nos meios de comunicação e Internet, assim como pensar sua incorporação para a formação docente.

Na Oficina expuseram os eixos essenciais para a educação midiática e informacional (EMI). Para isto, considerou-se a concepção realizada pela UNESCO, que destaca que é um processo de formação de conhecimentos e concorrência que faculta as pessoas para compreender as funções dos meios de comunicação e outros provedores de informação. Além disso, ajuda a avaliar criticamente os conteúdos dos meios e tomar decisões informadas como usuários e produtores de informação e conhecimento.

Para alcançar este objetivo, durante a oficina reforçou-se a necessidade de capacitar os docentes em critica dos meios à internet. Focou-se na ausência de neutralidade destes meios e na importância de questionar o significado de se realizar sobre os diferentes feitos, assim como na importância que existe na transparência destes meios.

Também trabalhou na importância da mensagem dos diferentes sites informativos: o que foi dito, o que foi omitido, quem transmite, como se constroem os textos ou produtos informativos, quais são seus objetivos, procedência e credibilidade. Todos estes questionamentos se recomendam aos docentes para poder abordar de maneira flexível a informação dos meios de comunicação, internet e as redes sociais.

Durante a oficina também reforçou que a explosão de acessos à internet gerou mais informação disponível. Ainda que se referenciou diferentes estudos que refletem que os alunos não sabem selecionar quais informações são válidas, já que prefere a rapidez de tomar como certa a primeira informação que aparece, sem considerar a confiabilidade da fonte. Outro dos pontos que tratou a oficina é o padrão que deve assumir a escola neste contexto e os desafios que supõem para o corpo docente.

A colaboração do trabalho entre a Unesco e o Mined para trazer estratégias encaminhadas para fomentar uma cultura que permita aos cidadãos empregar as TIC de maneira efetiva, ética e segura está ativa desde 2015. Para este ano realizou o programa TIC P@Z, que teve como objetivo o fortalecimento da alfabetização midiática, audiovisual e informacional de docentes em exercício com ênfase na construção e promoção de uma cultura de paz dos centros educativos rurais da província de Santiago de Cuba.

Estas iniciativas realizadas pelas autoridades cubanas são de grande utilidade para potencializar a adoção das novas tecnologias na educação. No entanto, é necessário também que se realizem estratégias para prover aos docentes e alunos de dispositivos de acesso, assim como também as escolas de conectividade. Na busca deste último objetivo, as tecnologias de banda larga sem fio se apresentam como uma oportunidade para poder conectar uma maior quantidade de centros educativos.

Em particular por meio de tecnologias como a LTE, ou o futuro próximo por meio da 5G, que por suas características permitem altas velocidades de acesso e conectividade robusta. Neste sentido, é importante que se estimule a concorrência no mercado incentivando a adoção de novas tecnologias de acesso que permitam o desenvolvimento de melhores condições de conectividade para a população, em particular, ao setor educativo.

Também é necessário que as autoridades coloquem à disposição da indústria de telecomunicações maior quantidade de espectro radioelétrico, para que dessa maneira possa contar com a capacidade necessária para desenvolver novas tecnologias. Também é necessário que se estabeleça uma agenda para futuras licitações de espectro, o que permite um melhor planejamento de desenvolvimento de tecnologia.

Com o objetivo de conseguir melhores coberturas, é importante que se flexibilizem as normas que controlam os desenvolvimentos de rede. Em outras palavras, a existência de normas claras e flexíveis que permitam aos operadores desenvolver em tempo e forma as novas tecnologias, aumentando dessa forma as oportunidades de contar com maiores coberturas no mercado.

A iniciativa de capacitação docente realizada pelas autoridades do governo de Cuba é de grande ajuda para o desenvolvimento das TIC no setor da educação. No entanto, estas devem estar acompanhadas por politicas que busquem aumentar a conectividade no país, em particular a partir de tecnologias de banda larga móvel.

0 comments on “Cuba aposta a formação docente no uso das TIC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *