Covid-19 contribuiu para atrasar o dividendo digital na América Latina

A limpeza das faixas de 600 MHz e 700 MHz é necessária para  utilizar o espectro para redes 4G e 5G.

São Paulo, 23 de junho de 2022 – Pelo menos 11 países latino-americanos atrasaram entre 2020 e 2021 as datas do “apagão” dos sinais de televisão analógica, um processo relevante para alocar a banda de 700 MHz aos serviços de banda larga móvel. A 5G Americas publica hoje o relatório “Alocação de espectro radioelétrico sub-1 GHz na América Latina” que analisa o estado das bandas baixas de espectro em 18 países da região, e que são identificadas para as telecomunicações móveis internacionais (IMT).

Os países que atrasaram suas datas para o apagão analógico foram: Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Panamá, Perú, República Dominicana e Venezuela. Embora seja possível licenciar a faixa de 700 MHz antes que o “apagão analógico” seja concluído, é importante concluí-lo em tempo hábil para evitar o risco de interferência prejudicial.

O relatório constata que na maioria dos países analisados, a faixa de 700 MHz já foi total ou parcialmente licenciada para operadoras de rede móvel, exceto Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, República Dominicana e Venezuela. Quanto à faixa de 600 MHz, 10 dos países analisados ​​já a atribuíram ao serviço móvel, mas apenas o México pretende licenciá-la a curto prazo (2022-2023).

Esta edição do relatório inclui informação sobre outras faixas sub-1 GHz para além das de 600 MHz e 700 MHz, que já se encontram atribuídas ao serviço móvel e total ou parcialmente licenciadas, nomeadamente as de 450 MHz, 800/850 MHz e 900 MHz. Em alguns países, alguns estão parcialmente disponíveis ou seu uso para redes móveis está sendo estudado.

As bandas IMT abaixo de 1 GHz têm propriedades de alta propagação, o que as torna atrativas para fornecer cobertura de rede móvel em áreas suburbanas ou rurais, pois requerem relativamente menos infraestrutura do que as redes implantadas exclusivamente em bandas de frequência mais altas (acima de 1 GHz). A identificação de mais espectro disponível em “bandas baixas” é um objetivo que o relatório sugere, pois pode contribuir para políticas para o fim da exclusão digital e para aquelas que buscam acelerar a chegada da 5G. [DOWNLOADS]

###

Sobre a 5G Americas: A Voz da 5G e LTE para as Américas

A 5G Americas é uma associação setorial dos principais provedores de serviços e fabricantes do setor de telecomunicações. A missão da organização é de apoiar e promover o desenvolvimento total das capacidades da tecnologia sem fio LTE e sua evolução além da 5G, em todo o ecossistema de redes, serviços, aplicativos e dispositivos sem fio nas Américas. A 5G Americas fomenta o desenvolvimento de uma comunidade conectada e sem fio e está liderando o desenvolvimento da 5G para toda a região das Américas. A 5G Americas é sediada em Bellevue, no estado de Washington. Para mais informações, visite o site para o Brasil www.brechazero.com.br. Siga-nos no Twitter: @5GA_Brasil, e acompanhe nosso grupo no Linkedin: 5G Americas – Latin America & Caribbean.

Os Membros do Conselho de Administração da 5G Americas incluem: Airspan Networks Inc., Antel, AT&T, Ciena, Cisco, Crown Castle, Ericsson, Intel, Liberty Latin America, Mavenir, Nokia, Qualcomm Incorporated, Samsung, Shaw Communications Inc., T-Mobile US, Inc., Telefónica, VMware, and WOM.