Costa Rica promove ensino remoto da língua inglesa para escolas de áreas rurais

A implementação de programas que visam integrar tecnologias da informação e comunicação (TIC) na educação requer um esforço contínuo das autoridades para abordar seus diferentes aspectos. Além da distribuição de dispositivos e conectividade para as instituições, bem como a geração de conteúdo, é necessário complementar com a capacitação do corpo docente.

Com o objetivo de melhorar as condições para o aprendizado de inglês em escolas de ensino unidocentes da Costa Rica, o Ministério da Educação Pública (MEP), o Ministério de Ciência, Inovação, Tecnologia e Telecomunicações (MICITT) e a Universidade Nacional (UNA) estão promovendo uma proposta metodológica inovadora para o ensino remoto de inglês em 35 escolas do país.

Esta parceria interinstitucional, que terá início neste ano como um modelo de aprendizado inovador, o MICITT irá fornecer equipamentos tecnológicos para as instituições, enquanto a UNA fornecerá material didático. A iniciativa consistirá em oferecer 5 aulas semanais de inglês ministradas por dois professores do MEP, através de uma plataforma digital de comunicação e colaboração.

A UNA participará desta iniciativa no acompanhamento, suporte e avaliação contextualizada e abrangente nas regiões educacionais participantes do projeto piloto. Além disso, juntamente com o MEP, realizarão um teste de proficiência linguística para avaliar o impacto que esse projeto terá em um ambiente educacional onde atualmente não há aulas de inglês.

Para a implementação do projeto, cada escola será equipada com conectividade, câmeras de vídeo, projetores interativos, microfones para salas de videoconferência, alto-falantes, impressoras, fones de ouvido, tablets e computadores.

Esta iniciativa tem a missão de formar profissionais do mais alto nível ao serviço do país e influenciar, através de projetos de extensão, na melhoria da qualidade de vida das pessoas, por meio de tecnologias para fortalecer o domínio do inglês.

Dessa forma, a iniciativa busca criar condições para que os professores possam enfrentar positivamente as aulas de forma virtual. Para isso, serão fornecidos recursos para melhorar o planejamento e a participação dos professores na nova modalidade de ensino.

Contudo, para que este planejamento avance positivamente, é necessário que as autoridades costarriquenhas trabalhem igualmente no acesso à banda larga para a população.

É importante ressaltar que o acesso à banda larga é uma ferramenta fundamental, especialmente a banda larga móvel, que, por suas características, permite o acesso a um maior número de pessoas. Nesse contexto, tecnologias como LTE e 5G possibilitam acesso de alta velocidade e robusto aos dados.

Para potencializar esse acesso, é necessário que sejam disponibilizadas à indústria de serviços móveis maiores porções de espectro radioelétrico que permitam o desenvolvimento de novas tecnologias. Além disso, a geração de uma agenda com futuros leilões de espectro possibilitará à indústria planejar de forma eficiente suas redes.

É necessário reduzir as barreiras burocráticas que existem para a implementação de infraestrutura de telecomunicações. Deve-se estabelecer políticas de uma única norma que agregue as diferentes demandas dos órgãos estatais, pois isso ajudará a acelerar a implementação das redes. Também é importante estabelecer estratégias de uma janela única, que permita às operadoras ter um único interlocutor ao solicitar permissões, agilizando assim os prazos de implementação.

As iniciativas que visam melhorar as condições de acesso à educação usando TIC são de grande ajuda para os países em meio à revolução digital. No entanto, elas devem ser acompanhadas por outras que aumentem a conectividade no mercado, possibilitando melhores resultados globais.