Costa Rica planeja conectar todos os seus centros educacionais

Os planos de teleducação realizados pelos países latino-americanos variam em abrangência e estratégias. Na região existem linhas de ação que vão desde a entrega de dispositivos de acesso aos alunos, até a geração de conteúdos e atividades pelas instituições de ensino.

Nesse contexto, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Telecomunicações (MICITT) da Costa Rica aprovou as metas do Plano Nacional para o Desenvolvimento das Telecomunicações (PNDT), com o objetivo de implantar o programa Rede Educacional do Bicentenário. Esta iniciativa foi parcialmente executada durante o mês de dezembro de 2020.

A estratégia levada a cabo pelo MICCIT consegue articular-se entre o Ministério da Educação Pública (MEP) e a Superintendência de Telecomunicações (SUTEL), estas duas últimas entidades contribuíram com o que foi necessário para modificar as metas iniciais para, assim, concluir o financiamento da Rede Educacional do Bicentenário com recursos do Fundo Nacional de Telecomunicações (FONATEL).

O objetivo é fornecer conexões de banda larga em todos os centros de ensino públicos do país. Além de facilitar a interconexão, busca-se uma rede segura com gestão ágil. Desta forma, é desenvolvido um trabalho que visa  fortalecer e melhorar os processos de ensino e aprendizagem para reduzir o gap digital e aumentar a competitividade do país, através da implantação e utilização dos serviços de telecomunicações de apoio ao setor da educação.

Esta rede visa garantir o acesso e o direito à conectividade nos centros de ensino em igualdade de condições para toda a comunidade estudantil. Para a execução desse plano, a SUTEL realizou uma análise de viabilidade técnica, jurídica e econômica para financiar a Rede com recursos do FONATEL.

Assim, o MEP planeja atender 2.139 centros educacionais com recursos próprios até 2022. Até 2021 a meta é chegar a 1.662 centros com um total de 477 em 2022. No caso do FONATEL, a expectativa é atender um total de 2.375 centros educacionais, dos quais 516 serão entregues em 2021, de acordo com as capacidades de execução indicadas pela SUTEL.

Este programa torna-se mais importante para o desenvolvimento do país na atual conjuntura, devido à pandemia causada pela Covid-19. É significativo quando se leva em consideração que o projeto é um investimento de longo prazo. A possibilidade dos alunos da rede pública se conectarem com qualquer centro educacional é uma iniciativa que melhora as condições de aprendizagem desses jovens.

A partir da aprovação do projeto de lei Programa Nacional de Alfabetização Digital (Artigo 22.206), espera-se que esta Rede se consolide e gere sustentabilidade, para isso será implantada a interligação dos centros, a gestão e segurança da rede e o conteúdo, didático, que facilitará o treinamento gratuito para a população escolar e universitária com os conhecimentos e habilidades necessários no mundo digital. O objetivo do MICITT é promover a igualdade de oportunidades por meio da alfabetização digital e da aplicação de tecnologias para o desenvolvimento social.

É importante que este plano de conectividade leve em consideração as diferentes tecnologias de acesso. A banda larga móvel é apresentada como uma oportunidade de oferecer conectividade às escolas de forma rápida e eficiente. Tecnologias como LTE e, eventualmente, 5G, serão capazes de fornecer às instituições de ensino de banda larga implantações sem fio que oferecem vantagens em termos de tempo de configuração e custos iniciais. No entanto, é necessário que a indústria receba maiores parcelas do espectro radioelétrico para serviços sem fio, para que essas iniciativas tenham um desenvolvimento favorável.

Nesse cenário, a iniciativa das autoridades costarriquenhas é de grande ajuda para equalizar as condições de aprendizagem da população. No entanto, é também necessário que estas iniciativas sejam acompanhadas por estratégias nacionais de conectividade que visem aumentar o alcance das tecnologias de acesso como a banda larga móvel.