Conecta Selva: Transformando a Educação e a Saúde na Selva Peruana

Ao longo deste ano, o MTC (Ministério dos Transportes e Comunicações) avançou com novos projetos regionais que iniciarão as operações no segundo semestre, atingindo Ica, Amazonas e Junín. Dessa forma, as autoridades do Peru buscam aumentar a digitalização de diversos setores da economia do país, bem como em diferentes aspectos da sociedade.

Dentre esses projetos de conectividade, o Ministério de Transportes e Comunicações do Peru comunicou que o projeto Conecta Selva, implementado pelo Programa Nacional de Telecomunicações (Pronatel), conseguiu estabelecer 327.474 conexões de Internet via satélite em escolas e centros de saúde em 1034 comunidades nas regiões de Loreto, Ucayali, Amazonas e Madre de Dios.

Dentro desse conjunto de conexões, 97,3% pertencem a escolas, proporcionando uma maior oportunidade de progresso educacional para os estudantes nas áreas remotas da selva amazônica peruana. Os restantes 2,7% correspondem a centros de saúde.

Especificamente, a região de Loreto representa 65,2% (213.523) do total de conexões à Internet via satélite, enquanto os outros 34,8% estão divididos entre as conexões realizadas em Ucayali (90.225), Amazonas (11.854) e Madre de Dios (11.872).

Destaca-se o caso de Nuevo Andoas, uma localidade no distrito de Andoas, província de Datem del Marañón, em Loreto, onde foram estabelecidas 1200 conexões, o número mais alto entre as quatro regiões da selva.

A iniciativa Conecta Selva possibilitou o acesso à Internet via satélite para um total de 1316 instituições públicas, compreendendo 1212 escolas e 104 centros de saúde. O objetivo principal é reduzir a exclusão digital e, acima de tudo, promover a alfabetização digital e a inclusão tecnológica nas áreas rurais para seus habitantes.

O Pronatel, uma entidade ligada ao vice Ministério de Comunicações, reafirma seu compromisso em continuar colaborando para acelerar a expansão da cobertura, do acesso e do uso da Internet nas zonas rurais do Peru.

Para que haja o avanço dessas tecnologias, juntamente com as ações governamentais para fornecer acesso à banda larga, é crucial incentivar a participação do setor privado na prestação desse serviço. Em suma, busca-se motivar as empresas de telecomunicações a criar e expandir serviços de banda larga móvel no mercado.

Entre as estratégias que as autoridades peruanas podem implementar para impulsionar o crescimento da banda larga, está o aumento da disponibilidade de espectro radioelétrico para as empresas de telecomunicações. Além disso, a elaboração de um planejamento com os futuros leilões de espectro permitiria que as operadoras planejassem de forma mais eficiente a construção de redes para novas tecnologias.

Em uma linha semelhante, é fundamental reduzir as barreiras burocráticas que dificultam a instalação de infraestruturas de telecomunicações no mercado. Seguindo as práticas bem-sucedidas internacionalmente, uma estratégia eficaz seria estabelecer uma regulamentação única que atendesse aos requisitos estatais e criar um ponto central para os trâmites, com o objetivo de simplificar os processos das empresas operadoras.

Como evidenciado, a proposta das autoridades na região da Selva no Peru tem o potencial de gerar benefícios econômicos substanciais ao impulsionar a eficiência por meio da digitalização. No entanto, é fundamental complementar essa iniciativa com outras políticas que incentivem a adoção de serviços de banda larga pelo setor privado, para maximizar ainda mais o impacto dessas iniciativas.