Colômbia está avançando e fortalecendo o setor de Health Tech através de novas tecnologias

A oportunidade de incorporar novas tecnologias para otimizar os serviços de saúde é uma necessidade para a maioria dos países da América Latina e do Caribe. Através dessa evolução, há um contínuo desenvolvimento de dispositivos, aplicativos, procedimentos e medicamentos para o bem-estar humano, onde se contempla o diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças.

Portanto, a tecnologia permite que mais pacientes tenham acesso a tratamentos e médicos, fortalecendo a relação médico-paciente e eliminando muitas das barreiras que limitam o cuidado com a saúde. Os avanços no campo da medicina, baseados em tecnologia, visam direcionar a indústria para os pacientes, permitindo que eles tenham maior controle sobre seu próprio cuidado.

O último dia da cúpula dos ecossistemas digitais no evento Colômbia 4.0, organizado pelo Ministério de Tecnologia (MINTIC) em Corferias, serviu como espaço para mostrar os avanços a nível nacional em Health Tech. Lá, alguns dos líderes nacionais expuseram sobre este tópico de ecossistemas digitais e a realidade da saúde no país, com seus desafios para fortalecer os processos clínicos através das novas tecnologias.

Atualmente, na Colômbia, existem 1,8 médicos para cada 1000 habitantes. 79% da população tem acesso aos serviços de saúde. Enquanto mais de 38 milhões de pessoas têm acesso à internet. Essas condições geram uma oportunidade para promover a prevenção em saúde, com uma conexão que permita alcançar as regiões mais profundas e remotas da Colômbia.

Atualmente, há um grande desenvolvimento de startups de Health Tech destinadas a melhorar diversos aspectos dos serviços de saúde. Estes empreendimentos têm o objetivo de oferecer benefícios médicos centrados no paciente, a fim de proporcionar um atendimento mais rápido, acessível e de melhor qualidade. Isso não significa que as pessoas não devam recorrer a clínicas ou hospitais, mas sim evitar muitas consultas que podem ser atendidas de forma virtual para agilizar os processos.

Por meio de aplicativos de telemedicina, novos seguros médicos, procedimentos modernos e serviços de farmácias digitais, é possível melhorar o atendimento a doenças e diversas condições. Além disso, fornecem soluções de software para a gestão hospitalar, entre outras aplicações das novas tecnologias.

A interação da tecnologia, automação de processos, robótica, digitalização, realidade aumentada, Big Data e Inteligência Artificial torna possível desenvolver soluções que ajudem os especialistas a avaliar as capacidades e habilidades das pessoas com mais precisão e em menos tempo.

É importante incentivar o desenvolvimento de aplicativos por parte de desenvolvedores locais para aumentar os benefícios oferecidos à população. Os aplicativos são uma ferramenta muito útil em termos de prevenção, bem como para conduzir tratamentos e controlar doenças crônicas.

Além disso, é importante que haja um trabalho conjunto entre o setor de saúde e as TIC para potencializar as diferentes iniciativas de modernização do atendimento de saúde. Nesse sentido, é necessário implementar políticas para aumentar a conectividade no mercado, promovendo, em primeiro lugar, a concorrência para que uma maior parte da população tenha acesso à banda larga sem fio.

Também é necessário disponibilizar mais espectro radioelétrico para os serviços de banda larga sem fio, a fim de obter uma maior conectividade na população. Devido às suas características, as tecnologias LTE e 5G se apresentam como uma oportunidade para aumentar a conectividade e potencializar as iniciativas associadas à banda larga sem fio.

Como podemos ver, na Colômbia, há um trabalho contínuo para incorporar as TIC no setor de saúde. No entanto, é importante que esse tipo de trabalho cresça e se expanda, fortalecendo a conectividade dos habitantes e incorporando novas opções que melhorem as condições de vida dos cidadãos.