Chile possui sua primeira escola com acesso 4G

O Ministro de Transportes y Telecomunicaciones inaugurou, no dia 3 de junho de 2016, a primeira escola com acesso à 4G LTE utilizando a banda de 700 Mhz para oferecer conectividade para a escola Puelmapu, que por isso, transformou-se em um laboratório conectado.

O objetivo do ministério é melhorar a conectividade da banda larga em um estabelecimento com a possibilidade de obter melhores velocidades de navegação em relação à conexão que possui atualmente. Dessa forma, busca-se dotar o estabelecimento educativo com uma série de aplicações multimídia que agilizam o ensino, beneficiando diretamente a educação dos estudantes e o trabalho dos professores.

A Escola Puelmapu está localizada no município de Peñalolén, no La Faena, em Santiago, capital do Chile. O estabelecimento recebe 280 crianças e, dentro das características da comunidade educativa, apresenta mais de 78% de vulnerabilidade, com alto índice de desemprego. A entrada para o projeto assegurará um laboratório com 30 Tablets e 8 notebooks, que permitirão aumentar suas habilidades tecnológicas e, por sua vez, a capacidade de resolver problemas de comunicação e conhecimento.

A inclusão da conectividade e dispositivos é o primeiro passo dos governos para a implementação das TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) e Educação. Estas iniciativas são importantes no momento de iniciar os alunos dentro do mundo TIC, equiparando suas possibilidades com outras escolas que apresentam menores índices de vulnerabilidade. É importante considerar também que o ambiente social e cultural é precário e as famílias contam com escassêz de redes de apoio, com isso o acesso a partir da escola torna-se uma grande oportunidades para a inclusão.

A iniciativa começou a tomar forma a partir da implementação da banda de 700 Mhz para oferecer serviços de banda larga móvel, o que possibilita o desenvolvimento de serviços 4G LTE. Cabe destacar que, entre os requisitios para a disputa, exigia-se dos concorrentes a oferta de  telefonia móvel e transmissão de dados para 1.281 localidades, 503 estabelecimentos educacionais municipais ou subsidiados, e 13 rotas equivalentes a 850 km, em todo o país. Estas metas têm prazo para março de 2017.

Deve-se considerar que a banda de 700 Mhz tem um valor significativo no momento de oferecer serviços de banda larga sem fio em zonas isoladas e rurais, em particular pelas características técnicas que apresenta para oferecer cobertura de serviços sem fio nestas áreas, assim como oferece um sinal de melhor qualidade para o interior das casas e dos prédios.  Devido a sua propagação é possivel alcançar uma área geográfica maior com uma menor quantidade de antenas. Isto permite um desenvolvimento eficiente de infra-estrutura em comunidades e populações que atualmente precisam deste acesso.

Além disso, a banda de 700 MHz permite o desenvolvimento de velocidade de banda larga móvel superiores aos 10 Mbps para localidades que, no momento, não contam com outra alternativa para o acesso à internet. Em outras palavras, a capacidade de desenvolver esta velocidade se volta para a banda de espectro radioelétrico, que é uma das mais aptas para este tipo de iniciativa.

Pensando no futuro, é importante que estas iniciativas estejam acompanhadas por políticas educativas destinadas a potencializar a implementação das TIC em cada estabelecimento. Ou seja, excede a inclusão de conectividade e dispositivos para estudantes e professores. O desenvolvimento de conteúdos é um passo lógio para potencializar esta conectividade, não somente por meio do desenvolvimento das autoridades do Estado, mas também convidando os desenvolvedores privados a consolidar este tipo de projeto mediante a criação de aplicativos destinados para estes fins.

Outras das iniciativas fundamentais para potencializar o aproveitamento das TIC nos sistemas eduativos é a preparação do corpo docente, assim como também a inclusão de uma figura administrativa que possibilite a integração da tecnologia com o corpo docente, os direitos e a comunidade. Trata-se de uma prática recomendada para essas experiências bem sucedidas na inclusão deste tipo de tecnologia na prática educacional.

Sendo assim, a conectividade dentro da escola possibilita uma tendência crescente, na qual cada indivíduo traz o seu próprio dispositivo (Bring your own device). A inclusão de uma tecnologia sem fio pode aumentar a conectividade nas aulas entre aqueles alunos que podem ter acesso à um smarpthone. Para melhorar a condição da conectividade, é importante que existam condições necessárias para poder reduzir o preço dos smartphones, tornando-os mais acessíveis.

Cabe destacar que o mercado móvel do Chile encerrou o primeiro trimestre de 2015 com 11.798.257 acessos à serviços móveis de acordo com a Subsecretaría de Telecomunicaciones (Subtel). Desse total, 3.052.600 pertenciam a serviços 4G e 7.596.968 a serviços 3G. Assim, a penetração de serviços de banda larga móvel no mercado chileno alcançaram 58,69% da população. Trata-se de uma penetração interessante para o mercado, o que gera iniciativas que podem massificar ainda mais a tecnologia, alcançando setores que estão em níveis mais baixos.

A iniciativa desenvolvida pelo Chile é um passo fundamental na região, garantindo às tecnologias sem fio a conectividade para centros educativos. O desempenho e o aproveitamento desta experiência pode tornar-se um incentivo importante para o resto dos mercados da região.

0 comments on “Chile possui sua primeira escola com acesso 4G

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *