Imagem: Pixabay.

Chile implementa Tablets para o nível inicial das escolas

O Ministério da Educação do Chile, por meio de seu programa “Enlaces”, desenvolveu o projeto Tablet para a Educação básica. O objetivo é fornecer Tablets para crianças do primeiro nível de transição do Chile (NT1 – crianças com 4 anos de idade), do segundo nível de transição (NT2 – crianças com 5 anos de idade) – o que seriam ensino básico no Brasil, e o primeiro básico de escolas municipais (6 anos de idade) – o que seria o nosso início do ensino fundamental. Os dispositivos têm como objetivo favorecer a inovação nas práticas pedagógicas.

A estratégia educativa do projeto tem como objetivo complementar e apoiar as experiências de aprendizagem que buscam favorecer as habilidades de raciocínio lógico-matemático. Além disso, tem como meta aumentar a autonomia dos estudantes. Entre as propostas da iniciativa destacam-se: favorecer a inclusão e a equidade das crianças no acesso à tecnologias da informação e comunicação (TIC), e ser um apoio para os educadores no ensinamento da matemática.

O uso de Tablets é a primeira aproximação das crianças com as TICs, se não com o mundo móvel. O dispositivo conta com uma lógica intuitiva similar às dos smartphones, porque no futuro, a criança poderá adaptar-se de maneira mais simples. Trata-se de uma iniciativa que não somente possibilita educar os alunos, mas também familiarizá-los com as novas tecnologias, em particular, com aquelas relacionadas à mobilidade.

O projeto contou com duas experiências prévias, a primeira delas foi um pré-piloto que aconteceu em 2012, e o piloto foi desenvolvido em 2013. Este último teste foi realizado para melhorar a prática pedagógica envolvida, desde as necessidades de coordenação ao interior dos estabelecimentos e a capacitação até o aperfeiçoamento das equipes pedagógicas.

Para 2014, o projeto incluiu as dependências municipais das regiões IV, V, VI, VII, VIII e IX. Estas deverão contar com ao menos um curso para o primeiro nível de transação, nosso ensino básico para NT1 (crianças de 4 anos), um curso para o segundo nível de transição NT2 (crianças de 5 anos) e um curso para o início do básico, o que seria nosso primeiro ano do ensino fundamental, ao todo com 27 alunos. Estes estabelecimentos deverão contar com um docente e um técnico para as crianças menores.

O desafio para os próximos anos será adotar a conectividade ao programa para aumentar a familiaridade das crianças com as TIC, em particular, com a Internet. Neste cenários, é importante ressaltar que o Chile é um mercado que possui um forte desenvolvimento de tecnologias de acesso, por causa das quatro operadoras móveis de seu mercado que contam com redes LTE.

Olhando para a implementação do uso de Tablets com crianças, cada docente conta com orientações didáticas. No caso dos mais novos, a proposta é implementar um sistema de rotação em estações de trabalho, onde os aluninhos interagem com materiais didáticos e Tablets. A estratégia sugerida está baseada na resolução de problemas, e podem enfatizar os diferentes ritmos de aprendizagem, assim como seus conhecimentos prévios.

Para atender esta demanda, as Tablets possuem aplicativos especialmente selecionados para o trabalho que o projeto propõem. Além disso, cada estabelecimento que participa do projeto conta com 27 Tablets, 9 para cada um dos níveis envolvidos, assim como bolsas e baterias para as Tablets.

O objetivo de ensinar matemática vem de um propósito do Ministério da Educação de promover o desenvolvimento de propostas pedagógicas e didáticas que fortaleçam a educação pública. Ainda assim, em particular, se busca promover o desenvolvimento do raciocínio matemático, a construção do sentido e do significado de conhecimento.

A iniciativa do governo Chileno tem um ponto importante para ressaltar: o foco nas crianças de nível inicial (básico do Brasil). Desta maneira, o início antecipado das TIC na área da educação prepara e familiariza essas crianças para o futuro. Cabe destacar também que estas experiências se realizam com nativos digitais, cujo processo de adoção da nova ferramenta se realiza de maneira mais fácil.

Outro ponto importante de ressaltar é a inclusão de pessoas escolhidas a acompanhar os docentes na implementação das tarefas que se desenvolvem com as Tablets. Vale ressaltar que um dos grandes desafios comuns nestes tipos de projeto estão relacionados com a adoção dos professores às novas tecnologias. Para lidar com isso, o plano conta com assessoria pedagógica, assim como com pessoal destinado exclusivamente para o apoio dos docentes.

A possibilidade de conectar crianças e mestres entre instituições criando ambientes colaborativos para avançar no ensino, é uma das oportunidades que o programa poderia incorporar para o futuro. Além disso, abre espaço para inúmeras quantidades de atividade conjuntas que resultariam em mais vantagens pedagógicas. Ainda assim, a inclusão de tecnologias sem fio possibilitaria uma maior dinâmica na atualização de materiais de forma automática.

O projeto “Enlaces” está em seu segundo ano de implementação no Chile com o objetivo de iniciar as crianças na experiência TIC. Ainda que a proposta seja interessante deste ponto de vista didático, a inclusão ao acesso à Internet aumentaria as possibilidades de interação entre diferentes centros educativos. Isto potencializaria a experiência dos alunos em melhorar suas relações com as novas tecnologias.

0 comments on “Chile implementa Tablets para o nível inicial das escolas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.