Chile implementa acesso de banda larga em 8 mil escolas estaduais

O desenvolvimento de iniciativas para aumentar a implementação de tecnologias de informação e comunicação (TIC) na educação consiste em uma grande corrida de obstáculos. Desde planos complexos que abrangem todo o setor, até à criação de conteúdos e aplicações, são analisados ​​pelas autoridades da região no momento do lançamento destes projetos.

No Chile, a Secretaria de Telecomunicações e Educação implantou o projeto “Conectividade para a Educação 2030”. O objetivo é contribuir para a redução do fosso digital, disponibilizando acesso à Internet em alta velocidade para estabelecimentos de ensino do país.

O projeto visa beneficiar cerca de 3,2 milhões de alunos e é totalmente subsidiado pelo governo do Chile. Para atingir essa meta, 8.352 estabelecimentos de ensino contarão com acesso gratuito à Internet de alta velocidade. Trata-se de uma iniciativa público-privada que escolheu 54 áreas a serem servidas por 9 empresas, num total de 70 áreas definidas em concurso público.

Desta forma, busca-se que os alunos das diferentes escolas do território chileno possam ter acesso a uma rede de Internet de alta velocidade, equalizando assim suas possibilidades. A estratégia completa será realizada por 9 anos e oferecerá conectividade digital para cerca de 10 mil estabelecimentos de ensino, durante o próximo ano cobrirá 99,9% das escolas do Chile.

Os próximos passos que as autoridades chilenas irão tomar estão associados à elaboração dos decretos de concessão às empresas privadas que participam desta iniciativa. Esses regulamentos irão detalhar os prazos de implementação comprometidos pelos licitantes selecionados.

Por outro lado, as áreas que por enquanto não fazem parte desta estratégia de conectividade, que somam cerca de 1.734 escolas, serão incluídas em uma segunda etapa. Para isso, as autoridades já estão trabalhando nas bases para um segundo concurso público. Além de conectar escolas que nunca tiveram conexão, o projeto busca aumentar a velocidade de acesso nos estabelecimentos que já possuem.

A possibilidade de conectar escolas é uma medida muito positiva para a educação chilena, sua implementação serve para que os alunos tenham oportunidades iguais diante da nova economia digital que prevalece globalmente. Nesse sentido, as tecnologias móveis tornam-se uma ferramenta essencial para chegar às áreas rurais ou distantes dos grandes centros urbanos.

Tecnologias como a LTE e, em um futuro próximo, a 5G, apresentam-se como uma alternativa de acesso viável para algumas escolas. O apoio que as autoridades podem gerar para garantir o desenvolvimento dessas escolas é essencial para promover este tipo de programa. Nesse contexto, oferecer maior disponibilidade de espectro radioelétrico às operadoras é uma estratégia importante por parte dos governos; bem como a geração de uma agenda que lhes permita ter maior previsibilidade, além de poder planejar com mais eficiência a instalação de novas redes.

Na busca pela instalação de redes também é importante que as autoridades tenham uma regulamentação única que reúna as diferentes demandas burocráticas do Estado. A redução de obstáculos neste sentido é um grande viabilizador para a implantação de redes de telecomunicações. Na mesma linha, a geração de um balcão único para procedimentos é uma iniciativa a ser considerada pelos deputados estaduais.

Consequentemente, a implementação de uma estratégia que proporcione conectividade às escolas é essencial para o setor educacional chileno. Sua implementação deve considerar as possibilidades oferecidas pelas redes móveis, principalmente na conexão de estabelecimentos distantes dos grandes centros urbanos.