Chile implanta serviços de banda larga na região de Magallanes

Levar os serviços de banda larga a uma parcela maior da população faz parte das metas estabelecidas pelas diferentes administrações da América Latina. Para atingir estes objetivos, são desenvolvidos planos e políticas que procuram melhorar o acesso à banda larga, com o objetivo de começar a incluí-los na nova economia digital.

Nesse sentido, o Ministério dos Transportes e Telecomunicações (MTT) do Chile trouxe serviços de banda larga móvel e fixa para a cidade de Punta Arenas, em Magallanes, no extremo sul do país. Este feito teve início quando as empresas de telecomunicações Claro, Entel e Movistar fecharam acordos com a operadora CTR para ocupar a infraestrutura do “Tronco Submarino” da Fibra Óptica Austral (FOA) e, assim, expandir a conectividade digital tanto dos moradores quanto de setores produtivos da região.

A iniciativa faz parte de um trabalho realizado pelo MTT que visa dobrar os quilômetros de fibra óptica no Chile. O plano espera passar dos atuais 18 mil quilômetros para 36 mil quilômetros em quatro anos. Esta é uma das ações concretas para reduzir a exclusão digital no Chile.

Para atingir esses objetivos, foi desenvolvido o projeto Fibra Óptica Austral (FOA), iniciativa que, com base no subsídio financeiro do Estado, prevê a implantação de 4,5 mil quilômetros de cabos de fibra óptica de Puerto Montt a Puerto Williams através de quatro linhas tronco que são o “Troncal Terrestre Magallanes”, “Tronco Submarino Austral”, “Tronco Terrestre Los Lagos” e “Tronco Terrestre Aysén”.

O projeto FOA visa expandir substancialmente a capacidade e a qualidade dos serviços de telecomunicações oferecidos na área de Magallanes, aproveitando o uso da tecnologia para melhorar a integração dos chilenos.

Com a melhoria da conectividade, o MTT espera o aumento da adoção de ferramentas digitais pela sociedade para aplicações como procedimentos online, busca de oportunidades de trabalho, educação a distância e medicina. Espera-se que isso ajude a população na continuação de suas atividades durante a pandemia de Covid-19. Essa iniciativa beneficiará diretamente mais de 124 mil pessoas.

Para fortalecer essas iniciativas, é importante que as autoridades chilenas também desenvolvam uma estratégia de estímulo para que a indústria de telecomunicações possa prestar serviços na região. Em particular, o desenvolvimento de serviços de banda larga móvel que, pelas suas características se tornam mais eficientes para oferecer acesso às áreas escassamente povoadas com grandes extensões. Tecnologias como LTE, ou 5G, tornam-se ideais para levar serviços para essas populações.

Nesse sentido, torna-se imprescindível a maior disponibilização de espectro das autoridades para o setor. É importante considerar que tecnologias como a 5G requerem porções do espectro em bandas baixas, médias e altas para funcionar de maneira eficiente. É também necessário criar uma agenda com futuras licitações de espectro que permita às operadoras planejarem a instalação das redes.

Assim, a iniciativa realizada pelo MTT do Chile é de grande importância para estimular o crescimento econômico e melhorar as condições de vida no sul daquele país. Porém, para ser mais eficiente, deve ser acompanhada de outras políticas de estímulo ao crescimento da banda larga móvel.