Cerca de 100% das unidades agrícolas do México têm banda larga móvel

O desenvolvimento da economia digital requer a implantação de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) nos setores produtivos. Em especial, naqueles que, como a agricultura, são pilares das economias dos diferentes países da América Latina e do Caribe. Poder monitorar esses avanços é fundamental para que as autoridades saibam quais iniciativas apoiar.

Nesse sentido, o Instituto Federal de Telecomunicações (IFT) do México desenvolveu o Relatório de Cobertura do Serviço Móvel em Zonas Agrícolas. A análise corresponde ao ano de 2021 e permite identificar as áreas que têm acesso à cobertura do serviço móvel nas tecnologias 3G e 4G. O objetivo é ter as informações necessárias para saber onde é preciso melhorar a conectividade no setor.

O desenvolvimento dessa nova edição contou com a inclusão dos dados gerados pela ferramenta mobile “AgroOferta”. Isso possibilita visualizar a aplicação das TIC no setor produtivo da agricultura.

Entre os principais resultados do relatório, destaca-se que, nos 32 estados, 100% das unidades produtivas da agropecuária protegida possuem cobertura de serviço móvel em pelo menos uma tecnologia (3G ou 4G). Já na agricultura temporária, em 18 dos 32 estados, mais de 90% das unidades produtivas, campos ou plantações têm cobertura, atingindo uma média de 94% no nível nacional.

Os estados com maior cobertura na agricultura sazonal também atingem 100%, sendo eles os estados do México e Oaxaca, enquanto em Jalisco essa cobertura chega a 96% e em Tamaulipas 89%.

O aplicativo AgroOferta terminou com 1.835 usuários cadastrados, com maior concentração nos Estados do México, Michoacán e Quintana Roo. Enquanto em 2 dos 32 estados, mais de 90% dos usuários de cada estado já demandaram algum produto agrícola dentro do aplicativo e em 6 dos 32 estados, mais de 60%.

A partir deste trabalho na geração de informação, o IFT espera conhecer o panorama nacional do acesso às telecomunicações nas diferentes áreas agrícolas. O objetivo é servir de subsídio para o desenho de políticas públicas voltadas para a promoção do acesso e adoção das TIC.

Nesse sentido, é importante que as informações coletadas sejam utilizadas para tomar decisões que visem ampliar o desenvolvimento da banda larga nessas áreas, estratégia que possibilita aumentar as TIC nos processos produtivos desses setores. Tecnologias como LTE, ou 5G, permitem o desenvolvimento de serviços de Internet das Coisas (IoT) para melhorar a produtividade do setor.

Por isso, é importante que as autoridades trabalhem em políticas que busquem aumentar o desenvolvimento da banda larga móvel. O aumento da quantidade de espectro radioeléctrico para os serviços de telecomunicações é uma das medidas a ter em conta. Assim como a geração de agendas com futuras licitações de espectro para que a indústria possa planejar com eficiência a implantação de novas redes.

No mesmo sentido, é necessário que as autoridades mexicanas reduzam os entraves burocráticos que pesam na implantação das redes de telecomunicações. Tão importante quanto a criação de uma janela única de procedimentos é a geração de normativos que agreguem as diferentes demandas do Estado.

A iniciativa das autoridades do IFT é de grande importância para melhorar as condições de produção no setor agrícola. No entanto, é importante que seja acompanhado de outras estratégias que permitam melhorar as condições de acesso à banda larga nas zonas rurais.