Cenário atual das bandas de espectro de rádio na América Latina: 2.300 MHz, 2.500 MHz e 3.500 MHz

O relatório aborda o cenário das bandas de 2,3 GHz, 2,5 GHz e 3,5 GHz na América Latina, que, embora tenham uma propagação menor do que as bandas abaixo de 1 GHz (“bandas baixas”), oferecem ampla largura de banda que contribui para aumentar a capacidade das redes móveis. Essas propriedades são relevantes em áreas urbanas, assim como em zonas afastadas ou rurais que concentrem uma alta densidade de conexões.

De acordo com o estudo, oito países da região não atribuíram a faixa de 2,5 GHz para serviços móveis. A banda de 2,3 GHz está alocada para serviços móveis na maioria dos países, mas poucas administrações publicaram planos para aplicá-la. Ambas as bandas podem ser direcionadas para aumentar a capacidade das redes LTE a curto prazo e, posteriormente, oferecer suporte na implantação da 5G. Esta edição do relatório destaca o aumento do número de países que buscam aproveitar a faixa de 3,5 GHz por meio de novos processos de alocação ou reorganização de licenças pré-existentes nestas frequências. [Downloads]